Cartier Bresson


31.05.01
Escola A menininha me conta que tem um tarado rondando, na Rocinha. O pessoal da Boca está de olho nele, ela diz, como quem diz o pessoal da polícia.





norman jean roy




Meu Vírtua não funciona há mais de uma semana e não tenho com quem reclamar: o serviço de defesa do consumidor do Rio de Janeiro não existe mais.


Ninguém abra a sua porta
para ver que aconteceu:
saímos de braço dado
a noite escura e mais eu.

Cecília Meireles




Um dos meus poemas prediletos

Posso escrever os versos mais tristes esta noite/ 

Escrever, por exemplo: "A noite está estrelada, e tiritam, azuis, os astros lá ao longe"/ 
O vento da noite gira no céu e canta/ 
Posso escrever os versos mais tristes esta noite/ 
Eu amei-a e por vezes ela também me amou/ 
Em noites como esta tive-a em meus braços/ 
Beijei-a tantas vezes sob o céu infinito/ 
Ela amou-me, por vezes eu também a amava/ 
Como não ter amado os seus grandes olhos fixos/ 
Posso escrever os versos mais tristes esta noite/ 
Pensar que não a tenho. Sentir que já a perdi/
Ouvir a noite imensa, mais imensa sem ela/ 
E o verso cai na alma como no pasto o orvalho/ 
Importa lá que o meu amor não pudesse guardá-la/ 
A noite está estrelada e ela não está comigo/ 
Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe/ 
A minha alma não se contenta com havê-la perdido/ 
Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a/ 
O meu coração procura-a, ela não está comigo/ 
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores/ 
Nós dois, os de então, já não somos os mesmos/ 
Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei/ 
Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido/ 
De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos/ 
A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos/ 
Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda/ 
É tão curto o amor, tão longo o esquecimento/ 
Porque em noites como esta tive-a em meus braços/ 
a minha alma não se contenta por havê-la perdido/ 
Embora seja a última dor que ela me causa/ 
e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo.

Pablo Neruda.



30.05.01
Disposta a mudar meus hábitos sedentários, depois do café pedalei durante uma hora, enquanto estudava inglês. Isso há de contar pontos em algum placar celestial. Lamento não estar em casa às três e meia pra ver o show do ACM, ao vivo. Pode acontecer tudo, inclusive nada, como disse o Bóris Casoy ontem. Aliás, o Casoy (apesar de ser de direita) e o Paulo Henrique Amorim são as únicas opções de jornalismo na tevê aberta. O resto não dá.


Dia lindo, de sol. Reunião, almocinho com F. Mil coisas pra fazer e preguiça. Refresco é tão bom que só não carrego pra debaixo do chuveiro. Deve estar virando filme, é bem cinematográfico. Vou fazer meu homework e voltar pra rua.


28.05.01
Cheguei agorinha da rua, morta de fome, e com um desejo enorme de comer batatas fritas douradas. Finjo que não vejo que tem purê e frito as batatinhas que como com ovo, alface e arroz. Hoje estou particularmente feliz, sem nenhum motivo aparente, mas o fato de ter rodado a baiana na Caixa talvez tenha contribuído. É raríssimo eu fazer uma coisa dessas, por isso tenho três úlceras.


27.05.01
Revi Um lugar chamado Nothing Hill, gostei ainda mais do que na primeira vez, no cinema. É irreal, mas quem se importa? Hugh Grant funciona como um cara sincero e carente e Julia Roberts, bem, temos que tirar o chapéu para Julia Roberts, ela é linda e faz essas comédias românticas com o pé nas costas.
Gostei de Bossa Nova. E o final é feliz, ao contrário da novela do Sérgio Sant'Anna, Senhorita Simpson, onde o personagem principal toma um ônibus e se manda, deixando sua vida pra trás. Antonio Fagundes. Compreende-se porque a Kathleen Turner & Diane Keaton perguntaram pra Amy Irving porque ela não aproveitou e fugiu com ele. 


26.05.01

A Bienal Estava lotada, muitos grupos escolares, mas mesmo assim consegui encontrar a Bíbi e fomos juntas pegar a senha pra assistir o debate sobre o e-book. A bancada era composta por Cora Rónai, Arthur Dapieve e o Mario Prata. A primeira coisa que o Pratinha fez foi sugerir que o Millôr, na platéia, se juntasse a eles, o que foi ótimo. Depois do debate, beijos, abraços, dedicatória linda, fomos pra sala vip da Bienal (ui!), tomar vinho tinto e comer salgadinhos Garcia & Rodrigues (com direito a visitinha-relâmpago do Gilberto Braga). É muito fácil saber porque o Prata é tão querido. Ele é tão gentil e tão amoroso!


24.05.01
Ganhei um livro grossão, chamado Century. São 1120 páginas, com 1000 fotos, em ordem cronológica, que pretendem representar os últimos cem anos. Está todo mundo lá ou quase todo mundo. Tem a foto da França ganhando a Copa, e nenhuma do Pelé. Mas ele não é o atleta do século?


Coisinha à toa Ciro Gomes, candidato à presidência da república, considera que a falta de ACM não foi "tão grave assim".


23.05.01



Essa foto me fez lembrar minha infância. Era uma festa, na verdade uma reuniãozinha, onde os adultos conversavam amigavelmente quando um deles, que tinha bebido demais, deu um soco na cara do outro. Minha mãe rapidamente foi na cozinha e voltou trazendo um bife cru. Eu lembro que eu era bem pequena e fiquei realmente impressionada. Nunca esqueci esse truque embora, felizmente, nunca tenha precisado usá-lo.

Jerry Hall fotografada por Helmut Newton
Vogue USA, Paris 1974.



No outro dia li uma notinha no jornal sobre o partido verde alemão. Tenho a maior simpatia por ele e pelo modo radical como eles resolvem as coisas. A nota dizia que o show da Jennifer Lopez em Hamburgo tinha sido cancelado e o prejuízo ia ser imenso. O motivo alegado pelos verdes é que o som iria prejudicar o repouso dos morcegos, que nessa época do ano se refugiam nas cavernas ali perto para repousar. Feliz o país que pode se dar ao luxo de se preocupar com o sossego dos morcegos...


Gênio da raça Um comentarista esportivo amigo nosso, estava contando umas histórias deliciosas sobre o Nelson Rodrigues. Disse, por exemplo, que durante os jogos do flaflu, Nelson ficava fumando e olhando para as pessoas nas arquibancadas e, de vez em quando, perguntava "Como está o nosso jogo?". Nunca olhava para o campo, e no dia seguinte escrevia aquelas crônicas primorosas, contando detalhes da partida.


Ainda os baianos Nem todos os baianos reverenciam Antonio Carlos Magalhães. Ricardo Boechat, no Globo, diz que o senador telefonou para o João Ubaldo pedindo seu apoio. "O fato de sermos baianos, não nos aproxima", respondeu o escritor. Mesmo assim seu nome foi parar entre os signatários de um documento pró-ACM.


21.05.01
Parece que o Baretta matou a mulher - que tal essa?




Francisco Lopes vendia as informações do Banco Central mas tudo bem. ACM vai renunciar pra inglês ver. Maluf está envolvido até o pescoço no caso das Ilhas Cayman. Não temos tempo pra absorver tantos escândalos. Quando estamos chocados com um dossiê logo se descobre outro e a coisa nunca pára.



Tomo um xarope de mel de abelha + associações: assa peixe, cambará, mastruço, alcaçuz, anis verde, badiana, funcho, malva, papoula rubra, mamoeiro, peneira, avenca, quaco, alfavaca campestre, cambará, althea, alcaçuz. 

Papoula rubra.



19.05.01


Se você acha que já viu o pior filme da sua vida você não viu ainda Revelação.



18.05.01
Sexta-feira Existe coisa mais frustrante do que precisar falar urgente com uma pessoa, e a telefonista repetir que o aparelho se encontra fora da área de cobertura? Existe. Resolvo antecipar minhas compras da Bienal, na sexta que vem, e entro na Travessa. Separo Minhas tudo (a capa não era verdinha?); o último Rubem Fonseca; os melhores poemas do século; e um policial chamado Refresco. Na hora de pagar, o rapaz de piercing diz que meu Visa está bloqueado. Acontece que o intervalo entre pagar o cartão e ele ser liberado demora um século. Me arrependo de ter adiado o prazer, e não ter lido o poema inteiro do Murilo Mendes. Conto até dez e respiro fundo. Para tentar compensar, vou a locadora e alugo Revelação (por causa do Harrison Ford), Alta Freqüência (porque gosto dessas paradas de máquina do tempo) e Garotos Incríveis (pra ver se é bom como dizem), prevendo um fim de semana chuvoso, embora o sol brilhe lá fora. Passo em casa porque estou com desejo de comer o empadão do jantar de ontem, e volto pra rua.




é maravilhoso acordar junto/ no mesmo minuto, maravilhoso ouvir/ a chuva cair de repente sobre o telhado.Elizabeth Bishop 



Assisti Magnólia. Cinco estrelas. Queria saber se o Jason Robards ganhou o Oscar. Porque arrebenta. Quando o filme estava em cartaz, alguém me disse o que significava aquela chuva de sapos. Eu esqueci. É bíblico?


                                            
                                                Cheguei, baixei, saravei.


                                    River Phoenix




Medidas

Não dizem que a mulher ideal tem 90-60-90?
Pois o homem ideal tem 86-20-42.
86 de idade
20 milhões de dólares na conta bancária.
42 de pressão.




O amor quer abraçar e não pode.
A multidão em volta,
com seus olhos cediços,
põe caco de vidro no muro
para o amor desistir.
O amor usa o correio,
o correio trapaceia,
a carta não chega,
o amor fica sem saber se é ou não é.
O amor pega o cavalo,
desembarca do trem,
chega na porta cansado
de tanto caminhar a pé.
Fala a palavra açucena,
pede água, bebe café,
dorme na sua presença,
chupa bala de hortelã.
Tudo manha, truque, engenho:
é descuidar, o amor te pega,
te come, te molha todo.
Mas água o amor não é.
 Adélia Prado 



16.05.01 Fazendo as unhas Luma de O. exibe sua calcinha, com as iniciais do marido em brilhantes. Exagerou no silicone. Luciano H. quando dá autógrafos assina Mr. TV Globo. Luciana Gimenez revela a vontade de ter mais herdeiros (sic). Alicinha Cavalcanti deve ter um clone: ninguém pode estar em tantos lugares ao mesmo tempo. Caetano numa festa, Caetano numa boate, Caetano em outra festa, Caetano num jantar, Caetano num aniversário de criança.


   


René Groebli


Você meu mundo meu relógio de não marcar horas, de esquecê-las. Você meu andar meu ar meu comer meu descomer. Minha paz de espadas acesas. Meu sono festival meu acordar entre girândolas. Meu banho quente morno frio quente pelando. Minha pele total. Minhas unhas afiadas aceradas aciduladas. Meu sabor de veneno. Minhas cartas marcadas que se desmarcam e voam. Meu suplício. Minha mansa onça pintada pulando. Minha saliva minha língua passeadeira possessiva meu esfregar de barriga em barriga. Meu perder-se entre pelos algas águas ardências. Meu pênis submerso. Túnel cova cova cova cada vez mais funda estreita mais mais. Meus gemidos gritos uivos guais guinchos miados ofegos ah oh ai ui nhem ahah minha evaporação meu suicídio gozozo glorioso.

Carlos Drummond de Andrade








O homem que nós amamos.

12.05.01
Sábado Frio. Coloco uma legging preta e um pullover da mesma cor, talvez influenciada pelo existencialismo de M.. Comida japonesa. Intercalo o livro com os jornais do dia, passo os olhos no Cony, e no Mauro Ventura, que conta sua viagem de volta da Itália e o desconforto do avião: "Lembrei-me do comediante Jerry Seinfeld , advertindo as comissárias de bordo: 'Das coisas que se pode fazer num avião, dormir é a mais difícil. Comer é facílimo. Se a gente conseguiu fazer a difícil, não venha nos sacudir para fazermos a fácil". Rá.



Que tal se a nudez e o sexo voltassem a ter um pouquinho, só um pouquinho, do ar de mistério que tinham antes?



Ouvindo uma entrevista com Fernando Gabeira, na rádio CBN, sobre as medidas do prefeito Cesar Maia, para tentar moralizar Copacabana. O deputado nunca me decepcionou, suas opiniões sempre são as mais lúcidas e ele sempre honrou o meu voto. Por isso nunca coloquei todos os políticos num saco só. Existem políticos e políticos.
&
Ameaça de chuva, final de semana cheio de coisas sem charme, estudar inglês, comprar fogão, cerimônias estaduais, passadinha chez sogra etc. Tomara que sobre um tempinho pra ver o Ed Harris no cinema.



11.05.01

O Medo
A árvore tem medo do machado.
A barata tem medo do chinelo.
A televisão tem medo do curto-circuito.
O espelho tem medo de ser quebrado.
O livro tem medo de ser rasgado.
O carro tem medo da batida.
O sapato tem medo do chiclete.
O chiclete tem medo do sapato.
O aluno tem medo da prova.
É isso que é o medo.

(Francisco, 9 anos)


A vida como ela pode ser Conheço uma mulher, professora de história da arte, sessentona, solteira, pouco atraente (eu diria chata), que vivia em função das orelhas de Van Gogh. Um dia foi até São Paulo fazer uma palestra e reencontrou, por acaso, seu primeiro namorado. Resumirei: a chama reacendeu, estão namorando e pensam em se casar. Esse lado inesperado da vida é, sem dúvida, sua melhor parte.

rádio-relógio Sabe porque nylon se chama nylon? Porque foi inventado, simultaneamente, em Nova York e em Londres. Uau.


09.05.01
As crianças passam cola e purpurina nas flores de papel, para o próximo domingo. Um deles não sabe escrever nem ler e é com muito esforço que compreende as coisas que eu explico."Por que ele está na mesma turma que os outros?", pergunto à professora. "Porque ele vem passando de ano, agora não pode voltar pra trás". Mas como conseguiu chegar até aqui? "Não me pergunte isso", ela ri, balançando a cabeça.
Alguns colocam purpurina no miolo das flores, que deveria ser preenchido com tinta dourada.




Ré Dengue, febre amarela, racionamento de luz - o Brasil tá andando pra trás ou é impressão minha?


08.05.01
Há dez anos existiam 50 000 leões na África, hoje existem 15 mil. Para evitar que as coisas ficassem ainda piores, o governo de Botsuana decidiu proibir a caça ao leão. Inconformados com essa decisão, milionários norte-americanos assinaram um documento para que a lei seja revogada. George Bush- pai e Dan Quayle são algumas das pessoas que não se conformam de abrir mão desse prazer.

É isso aí.





"Era o meu sonho ter várias vidas. Numa eu seria só mãe, em outra vida eu só escreveria, em outra eu só amava". Eu Clarice Lispector

06.05.01
Macaco, pipoca, tobogã: eu acho tudo isso um saco.


Vi Noiva em Fuga, que pega muito bem num domingo chuvoso. Mas penso que esse tipo de filme é muito nocivo pras mulheres, porque amor na vida real, nada tem a ver com o amor de Hollywood. E a gente sempre quer o amor do cinema, e a gente sempre quebra a cara.



Muro Cadê o Caetano e o Gil?




"Não gosto da idéia de envelhecer, mas gosto de ter nascido há muito tempo."
Isabella Rosselini. Faço das palavras da diva, as minhas.




Desordem
Onde andará o par de luvinhas vermelhas que eu colocava
no inverno
e a camisa anistiada que o meu amor usou
no inferno
daqueles dias?





  René Groebli




Não menina
não esqueço de você
por mais que o mundo me perca
por mais que eu me perca no mundo
nunca teu olhar sairá da minha mente
da coisa existente
do movimento
à inércia
A vida se agitando
na janela
na favela
A guerra na África
A guerrilha na América
O filho órfão
os esquemas políticos
o ônibus atrasado ou
a bomba H ou N
não fará
é juramento solene
eu esquecer teu olhar
Nem também
as torturas
o Oriente ou Ocidente
os dissidentes ou
decadentes
As estantes, as culturas
as ditaduras
As mulheres
louras ou escuras
Me farão esquecer
nossas juras.

(G.M.,Paris, 12 de agosto de 1978)



Língua O físico Marcelo Gleiser, meu número, falou no programa da Marília Gabriela sobre aquela famosa foto do Einstein: o cientista foi a um congresso de mulheres que queriam fazer alguma coisa contra a bomba atômica. Ele falou que elas deveriam escrever para o presidente. "Eu ofereço minha língua pra selar as cartas", disse. E fez aquela careta.


02.05.01
ACM CBN, entrevista com Zélia Gattai. Peguei o bonde andando e eram tantos os elogios que eu achei que ela estava falando da Mãe Menininha do Gantois.
Conforme está escrito numa coluna social do jornal O Globo, Flora Gil ligou pra ACM a fim de prestar solidariedade e mandou beijo, passando a seguir o telefone para o marido. Disse que se houver uma lista pró-acm dará um jeitinho do Gil assinar.
Que vergonha, Meu Deus.

Nossos ídolos ainda são os mesmos?




Feriado Os quartos e a sala estão interditados. Esqueçam a comida em série: não há cozinha.Tenho (outra) missa de sétimo dia, às cinco e meia, e perdi a noção de onde minhas roupas estão empilhadas. Estou ilhada no escritório e o Vírtua nãoestá funcionando direito. 

Eu e S. brigamos. Fugi e fui ver Billy Elliot. Chorei muito na cena final. (Foto de Kyle Froman)







"Ele é o paizão da Bahia e está sofrendo uma injustiça por ter defendido projetos que beneficiaram os mais pobres e combatido a corrupção". Gal Costa, sobre ACM.






Por que tanta poesia?