30.04.02
Esse papo é verdadeiro – como, aliás, tudo no blog - e foi ouvido numa festa por um amigo. O ex-banqueiro Antonio Carlos de Almeida Braga, o Braguinha, comentou com o Rubinho Barrichelo:

“Sabe, Rubinho, se eu ainda tivesse a Atlântica Seguros eu ia te patrocinar. Encher teu carro de adesivos...”
“Puxa...que legal, obrigado...”
“Por que você anda tãao devagar que todo mundo ia poder ler tudo...”





- Mãeee, na escola me chamaram de mafioso!
- Amanhã mesmo vou resolver isso...
- Ok, mas faça tudo parecer um acidente...





Do jornal

Paul McCartney evitou que fosse para um leillão o manuscrito de Hey Jude, que ele escreveu para Julien, filho de Lennon, quando o beatle se separou da sua primeira mulher, Cynthia. O cantor alegou que o papel sumiu da sua casa e, portanto, ainda lhe pertence. Se fosse à venda custaria no mínimo R$ 116 mil.




Como se não bastasse, lindo.




Correspondência eletrônica

Não é de hoje que sou fã do Agnaldo. Quando o vi no pgm da Gabi, não faz muito tempo, pensei: não existe ninguém melhor p/se entrevistar. Sidney teve ter se divertido muito, tenho certeza. Vc ainda não revelou aos seus leitores quem é, ou melhor, quem foi, Amora. Acho que sou um dos únicos leitores seus que a conheceram. Estou certo ? Fiquei muito feliz por saber que sou um dos seus very best friends.Um beijo, Ayrton





Estava fazendo campanha para as eleições para prefeito e, na reta final, fomos até uma comunidade vertical, digamos assim. Levamos bolas para as crianças e os inevitáveis bonés e camisetas. Um crioulo rastafari veio saber o que estava havendo e contei que estávamos só distribuindo brindes. Quando dei por mim, ele estava contando coisas da sua vida, das vezes que tocou "com a Gal", dos shows, da sua paixão pela música etc. Fiquei tão envolvida com a história que não percebi que o resto do grupo já me esperava na van. Começaram a buzinar e fazer sinais e eu me despedi dele, que se ajoelhou, beijou minha mão e disse:

"Você é uma princesa."

Fiquei toda feliz e quando fui pra van, uma das meninas me perguntou, misturando censura e medo:

"Você sabe com quem você estava conversando?"
"Anh?"
"Vocês estava conversando com o chefão do tráfico daqui!"

Ooops.





29.04.02
Ontem, S. entrevistou o Agnaldo Timóteo, na CBN. Figuraça. Certa vez minha amiga Inês Valadão estava no carro com o marido e o filhinho pequeno, este em pé no banco de trás. O cantor quando viu aquilo, saiu do automóvel e passou o maior sermão pra rua inteira ouvir. Que aquilo era um absurdo (e é), que eles eram irresponsáveis etc. Ele pode ser o que for, de direita, brega. Mas é assumido. Nada pior do que uma pessoa de direita disfarçada de esquerda. E ele tem uma auto-estima que bate no céu. Nos deu seu cd de sucessos antigos, me lembrei muito de quando era pequena e via o programa do Chacrinha. A melhor é aquela "Quem será quem será, o amor, que imagino euuu, quem será quem será o amor para ser só meu". Muito bom.


Só hoje aprendi a diferença entre ter que e ter de




Estava ouvindo Frank Sinatra & Bono e me lembrei de uma história bem legal. Eu estava em NY e fui numa loja de departamentos de um shopping. Vi uma mochila de verniz vermelha e fiquei muito a fim. Queria comprar a modelo maior mas meu dinheiro só dava pra comprar a menorzinha. Na hora de pagar, a vendedora, uma crioula que parecia uma cantora de blues, se enganou e me cobrou a maior pelo preço da outra. Eu disse à que ela tinha se confundido e ela começou a falar, muito alto: "You are a lady! You are a Lady!".

Se malandro soubesse como é bom ser honesto, seria honesto só por malandragem.




O homem é o único animal que precisa saber inglês.





Coisas que eu gosto muito

Livros de capa fosca e páginas cor de manteiga
Filmes com finais surpreendentes
Ver programas trash antes de dormir
Estar apaixonada
Empada de palmito





28.04.02
Don't rain on my parade




Nunca gostei tanto da internet, assim como nunca preferi tanto a vida real.




Domingo de manhã Dormi muito pouco mas o sono pareceu dobrado. Vim ver emails e só tinham quatro. Quatro jóias. Acordei com muito sono ainda mas precisava anotar o que tinha sonhado, antes que o sonho pulasse pra outro canto do cérebro. Como era um sonho muito curto, primeiro repeti em voz alta e depois passei para o papel. Foi como salvar duas vezes.

Sonhei com um político influentíssimo e passei pro papel já em forma de post. Mas no andar da carruagem, vi que o sonho tinha desdobramentos e que qualquer Freud explicaria. Preferi ficar na minha. Há de se manter um certo resguardo.

Esse veio como uma espécie de filme principal mas, junto com ele, um outro, como se fosse um curta. Eu estava numa espécie de pracinha, onde havia várias lojinhas, cada uma de uma maneira. Eram blogs. Eram blogs que eu não conhecia ou conhecia e não gostava e a conversa era muito distante do que eu quero pra mim. O político e as pessoas com quem eu não me identifico (fictícias) deram um tom meio onírico-heavy e gostei de poder acordar logo.



27.04.02
Dá um tempo Ontem fui a piscina com uma amiga, alguns quilos mais gorda do que se espera de uma mulher. Me sinto à vontade pra falar sobre isso, por que sou quase um palito.

Até quando isso vai continuar assim?

É muito deprimente o ser humano ser obrigado a se enquadrar nas regras inventadas por indústrias que não param de lucrar às nossas custas. Dá um tempo. Estamos no século 21 e deveríamos estar livres deste tipo de manipulação. Minha amiga é muito feliz mas poderia ser mais se não perdesse tanto tempo lamentando suas celulites e seus quilos extras. Os homens também são vítimas, em menor escala mas são. A gente deixa de conhecer pessoas interessantes por causa desses conceitos idiotas. O cara olha, vê que a garota não está nos moldes e nem se aproxima. E vice-versa. Não consigo imaginar nada mais atrasado do que isso (Só o Garotinho, claro)

Só existe uma Gisele Bündchen. A gente tem que ser feliz não tendo o corpo dela. Eu espero que a Kate Moss, agora que está grávida e quase “passando da idade” de ser modelo, possa comer pratos e mais pratos de espaguete em paz. Pelo amor de Deus.

E o engraçado nessa história é que o próprio carrasco é também vítima. Por que todas as estilistas e editoras de moda do mundo inteiro têm esses mesmos problemas. Então por que não publicar logo na Vogue: Viva a celulite, a moda agora é ter celulite e pronto? Seríamos todas mais felizes. Mas o império da Revlon não pode ruir. Desculpe se estou sendo ingênua demais; é de propósito.

Uma vez eu li uma matéria no jornal, sobre a Michelle Pffeifer. A atriz perguntou ao jornalista se ele se importaria se ela almoçasse enquanto dava a entrevista. Então ela recebeu um prato com quatro folhas de alface, não colocou azeite nem sal, partiu as fatias com a faca e comeu. Isso é um absurdo. Deixem a Michelle comer!







“Ninguém quer ser meu marido. Outra noite, eu e a Michelle Pfeiffer saímos para dançar. Tivemos de dançar uma com a outra porque nenhum homem quis dançar conosco”
Cher, cantora

“Meu cabelo está igual ao de uma jogadora de tênis homossexual” Hugh Grant, que cortou o cabelo para fazer o filme About a boy.





Os Normais Aquele sítio do último episódio é mesmo do Luiz Fernando Guimarães. 



Ficamos zapeando na hora do almoço, sábado é o pior dia na televisão brasileira. Adolescentes num barco, reality show. De cara precisam eliminar dois companheiros. Escolhem o único que aparenta ter alguma personalidade (um negro*) e um tímido. Este tipo de programa exlui, não inclui. Importamos coisas de países realizados financeiramente que podem se dar ao luxo de inventar joguinhos para disfarçar o tédio. A graça é um derrubar o outro, eliminar, competir. Isso não cola num país tropical, não tem nada a ver com a gente.
*Na verdade nunca falo negro, ok? Porque acho artificial demais. Falo crioulo, que acho muito mais legal. Mas botei negro por que eu podia não ser compreendida etc e tal.



Menino do Rio

-você não era louro?
-sou louro só no verão.





Meu nome é Roberto Carlos
E eu moro lá na Urca
Pra provar que eu sou o rei
O meu morro é o Pão-de-Açúcar.


(linkado não é roubado)





Debate de ontem

"Sem o pefelê do Nordeste, ninguém vai ganhar e, se ganhar, não vai governar" Werneck Vianna

"O centro tornou-se um cenário primordial e único. Houve uma corrida dos canditados em direção ao centro político". Idem.

"O Brasil não é mais um país rural, com mazelas terríveis. O campo se mudou para à cidade. Existe uma revolução tecnológica que eu também não tive conhecimento. No outro dia conheci uma novilha chamada Vitória, de um ano, contemporânea da Dolly. Existe um rastreamento do gado de corte, com chips presos no estômago do boi, que permite acompanhar toda à vida do gado. O candidato que quiser 'mudar tudo que está aí' não terá chances. O campo mudou". Márcio Moreira Alves

"Sem Roseana quem ganha é Lula e PT, muito doido e pouco ladrão". Idem.




Rubinho Barrichello é o motorista que eu queria para os meus filhos: não corre.




Ontem foi um dia bacana. Júlia, depois almocei com Fred, no Sindicato do Chope e fui ao centro da cidade. Fiz um programa genial: fui à Assembléia Legislativa assistir um debate sobre eleições, com Márcio Moreira Alves e Werneck Vianna. É muito bom quando o trabalho se confunde com o prazer.

Nunca tinha estado no Palácio Tiradentes. Quando entrei no plenário, meia hora atrasada, o evento ainda não tinha começado, por que um dos debatedores estava atrasado. O auditório estava cheio de estudantes, aposentados, pessoas comuns. Perguntei à funcionária onde eu podia sentar. Tudo parecia formal demais e eu me sentia chegando atrasada numa cerimônia de casamento, tendo que atravessar o caminho principal depois da noiva. Com uma roupa totalmente imprópria, claro (Oi, Fer)."Tá vendo esse corredor? Vai nessa, sem medo de ser feliz, e escolhe um lugar", disse ela. As cadeiras acolchoadas são todas juntas e vêm com mesa para anotações, como numa sala de aula. O teto é de vitral, tem camarotes e ar condicionado no ponto.

Poucas vezes me senti uma cidadã no meu país. Tudo parecia digno e civilizado. O assunto foi discutido de modo interessante e instrutivo. Por algumas horas eu me senti num outro Brasil; aquele que a gente quer.

A tarde estava linda, com sol forte e céu azul. No caminho para à cidade, passando em frente ao Pão de Açúcar, me senti dentro de um cartão postal.





Quem não se comunica se trumbica.




sexta Daniel Cohn-Bendit, o charmoso Dani le Rouge, que agitou Paris68, deu uma entrevista pra GNT. Entre outras coisas ele relembra seus tempos na Universidade de Nanterre e diz que o FHC era um professor “um pouco tedioso” .


25.04.02
Currículo Quando eu dava aulas noturnas para adultos que precisavam ter diploma de primeiro grau, de vez em quando eu ganhava maçãs.

.
Recado para os políticos Lição básica: Ou você acende uma vela pra Deus ou para o diabo.



Duas vezes Danuza

1. Quem sou eu para julgar as pessoas, ainda mais as que admiro. Mas na minha opinião, ela tem duas manchas no seu belo currículo: gosta de casacos de pele (gostava?) e foi casada com o Renato Machado.

2. Casa dos Artistas, domingo. Vanusa manda recados e beijos para o filho. Minha filha se vira pra mim e pergunta:

- Essa que é a Vanusa Leão?




querido diário hoje fui dormir uma da manhã e acordei às oito foi muito bom parecia que eu tinha dormido o dobro do tempo fui ler os jornais no sol nadei mas fiquei só meia hora mil coisas hoje está lindo se eu pudesse passaria o dia na piscina do prédio lendo pequenas criaturas hoje vou me dividir entre o word a internet e uma faxina no escritório que está sem espaço pra andar de tanta revista velha e livros que nunca deveriam ser editados depois tenho aula de inglês se eu lembrar de noite vou ver marissol por que é tão inacreditavelmente péssima que é ótima parece aqueles testes para ser ator que tinha no faustão mas só que pior como todos trabalham mal imagino que o diretor é que é péssimo o alexandre frota dizendo eu te amo pra bárbara paz é imperdível estou com sono atrasado o dia está lindo é outono-verão no rio


Quinta, meio-dia

Ontem Uma coisa que eu gosto é ficar parada ao lado daqueles caras, contínuos, operários, lendo as manchetes dos jornais, que ficam pendurados nas bancas. Acho uma pena que as pessoas não tenham o hábito de conversar umas com as outras, mesmo sem conhecê-las. Tinha um rapaz humilde do meu lado e eu precisava comentar com alguém o que eu tinha acabo de ler, na primeira página do jornal Extra. Ele estava olhando o Jornal dos Sports. "Ei, olha essa...". 


SER POLÍTICO É A MELHOR COISA DO MUNDO. A MAMATA É BOA E EU VOU VOLTAR À CÂMARA. Geraldo cunha, ex-presidente da Câmara de São Gonçalo.

Ele leu e sorriu. Ninguém se surpreende mais com nada.



Você sabia que Butch Cassidy & Sundance Kid ia se chamar Sundance Kid e Butch Cassidy e que o Paul Newman seria o Sundance?

Saiba mais no documentário inédito sobre Robert Redford, sábado, 27, às oito e meia da noite, na GNT.




24.04.02
Alguém me disse que a Débora Secco perdeu doze quilos. Ahn?




Muito cá entre nós, você não acha que as pessoas andam falando mais de sexo do que propriamente fazendo?



O Homem de Bem ensinou pra Marisa um mantra para achar vaga no Rio de Janeiro. Testei e deu certo!


Ser cronista Ter um blog é viver em voz alta ( após Rubem Braga)


Dica Ainda sobre Cidade dos Sonhos. Melhor ver acompanhado pra não se perder no labirinto criado por Lynch. Num certo momento, meu marido falou uma coisa no meu ouvido.Talvez se ele não tivesse me dito aquilo eu perderia o fio da meada.



Sabe aqueles condomínios da Barra da Tijuca? Todos têm ônibus, que levam os moradores para o centro da cidade e pra Zona Sul (Isso é ótimo, né?). Sabe o Golden Green? É onde mora os novos milionários do Rio, tipo Romário, etc. Lá não tem ônibus, tem helicóptero! :o

O condomínio sai por 5 mil reais. Tá boa?




Televisão Ontem vi Casa dos Artistas, adoro. Pena que a edição coloca muito pouco a Ellen Roche falando, é uma das partes que mais gosto ("Cadê meu coelhinho?", "Não bate no meu coelhinho, vou ficar de mal!"). O Ricardo Macchi, querendo provar o tempo todo que não é só um corpinho (corpinho?) bonito, também é ótimo. O André Gonçalves não conta: é a sedução materializada.





Percebi que estou ficando muito no icq, hoje, quando discutindo com um guarda de transito, ele insistia que eu tinha ultrapassado o sinal vermelho e que eu, com certeza não tinha, disse: "Não, não passei no vermelho! Estava online pra mim!" (Bete)

Eu também tenho ficado muito na internet. Ontem, em quando me referia a um restaurante na Barra, falei Outlook, em vez de Outback. Também escrevi 5 email em vez de escrever cinco e meia. Ho.






Os Normais Meu vizinho come uva assim - não importa a cor ou o tamanho): abre a fruta com a faca, retira as sementes e pinga adoçante.





Águas Profundas. Millôr Definitivo. Quase Memória. Bliss. O Primo Basílio. As Meninas. Bíblia. Aurélio. Manual do Estado de S. Paulo. Acqua Toffana. Lucia McCartney. Teatro Completo de Nelson Rodrigues. Big Loira. Cem Anos de Spolidão. Minhas tudo. Pentimento. O Anjo Pornográfico. A Descberta do Mundo. Cadernos de Poesia do Aluno Oswald. A teus pés. Robinson Cruzoé. O Coração Disparado. Buffo & Spallanzani. O Livro dos Abraços. Caprichos & Relaxos. Orlando. O Tempo e o Vendo. Fim de Caso. Boquitas Pintadas. Sagarana. Deve ser bom ser você. Jeremias, o bom. Relatório Hite. Dom Casmurro. Viva o Povo Brasileiro. As Flores do Mal. Obra Completas de Cecilia Meirelles. As Reinações de Narizinho. As Impurezas do Branco. Crime Castigo. Poesias de Manuel Bandeira. O Apanhador no Campo de Centeio.Morte e Vida Serverina. Uma lista sem fim. Que bom.

Ontem foi dia do Livro. Salve, Salve.




Fred, meu amigo produtor de shows, falou cobras & lagartos dos artistas. A maioria se acha, mas isso a gente já sabe. Perguntei qual o mais nojento no trato (Tom Cavalcanti não conta, é hours concours). Não vou contar essas fofocas mas vou contar outra coisa. Perguntei a ele sobre o Zeca Pagodinho, mas deixando bem claro, "Se ele não for fofo nem me conta". Ele contou. Falou que o cantor estava saindo do show pra voltar pra casa. Colocou a chave na ignação e nada. Várias tentativas e o carro não pegava. Seu empresário, que já conhece a figura, perguntou: "Zeca, será que o carro não tem um segredo?". Ele então, se aproximou do carro devagarinho e perguntou baixinho: "Cara, você tem alguma coisa pra me contar?". Hohoho.



Quarta-feira, 10 da manhã Acabei de ouvir na CBN que Tom Zé já deixou a UTI e está num quarto convencional. Vamos rezar pra ele :)



Só hoje vi Moulin Rouge. É deslumbrante. Muita sorte ver dois filmes excelentes num espaço de três dias. As grandes estrelas de cinema não morreram. Existe a Nicole Kidman.


Tudo que eu escrever hoje, leia-se ontem, terça. O dia só muda pra mim quando eu vou dormir e acordo. Hoje vim pro computador uma e meia da manhã. Então ainda estou no ontem. Hoje foi dia do livro e dos direitos autorais. Farei uma homenagem amanhã, leia-se hoje.



Amigos Quem me vê assim contente, não sabe nada de mim. Fevereiro e a primeira metade de março foram meses muito difíceis. Tão duros que não vou falar sobre eles, para não aborrecer vocês. Mas agora estou numa fase muito boa da minha vida e estou curtindo o máximo que eu posso.

Como todo mundo sabe, quando a gente está feliz as coisas boas acontecem naturalmente. Mas quando a gente está triste (com o coração fechado para a vida), sai de baixo. De forma que muitas coisas legais têm acontecido comigo.

Tenho uns 4 melhores-amigos homens. Ayrton, Kastello, Aclyse e Fred - meu irmão não conta. Não está na ordem, por que não existe ordem. Ontem, quando eu estava em Ipanema, voltando pra casa depois da análise, encontrei o Fred na rua. (Pausa para dizer que não via ele há cinco anos. Cinco anos!) Por que ele é nômade, por que ele está sempre se mudando, nem sempre tem telefone etc. Ele trabalha como produtor em casas de espetáculo, dá um duro danado. Foi uma felicidade imensa. Sequestrei ele, comprei gérberas cor de vinho e trouxe ele pra minha casa. Foi muito bom. Depois eu conto umas coisas ótimas que ele me contou (sobre artistas, hohoho).


Sessão Amora

Hoje, sete da noite, S. foi fotografado para uma matéria sobre seu livro, para a Isto é. O fotógrafo foi o Carlos Magno, que eu só conhecia de nome, por que sempre leio o crédito dos fotógrafos, tenho esta mania. Acho que é por que é a profissão dos meus sonhos.

Ele é tipo amora (um dia explico o que quer dizer isso; é elogio). Gastou um filme de 36 poses para publicar uma fotografia. Alguém me disse uma vez que para essas fotos da Playboy, são tiradas mais de mil fotos.

Claro que, curiosa como eu sou (jornalista por formação, filha de jornalista e mulher de jornalista) fiz mil perguntas. Entre um papo e outro, claro, que eu também não sou entrevistadora.

“Qual o fotógrafo brasileiro que vc mais admira?”
“Sebastião Salgado”
“Eu falei brasileiro...”
(risos)
“São tantos bons...”
“E estrangeiro? “
“Cartier-Bresson”
“Que foto sua você mais gosta?”
(Pensa. É tímido e modesto)
“Uma que tirei quando fui cobrir uma enchente em São Gonçalo...A foto é um menino tomando banho com sabonete, ao lado de uma vala... As pessoas passando e ele lá, na dele”
“Menino de rua?”
“Nada, moleque, de farra... Acabou sendo premiada...”
(Elogios)
“Por hoje você já acabou seu trabalho?”
“Quem dera...Vou para o Leblon, fotografar o Ciro Gomes”
“Ah...queria tanto estar no seu lugar, queria tanto ser fotógrafa...”
“E eu queria tanto poder ir pra casa”
(risos)
“Você vai votar em quem?”
(Ele responde com firmeza. O voto que eu já esperava. Voto de quem sabe exatamente o que quer)
“Que tipo de foto você mais gosta de fazer? Fotos que mostrem a realidade social, né?”
(Ele afirma sem pestanejar)

Ah, sim, fiz o cenário para a sessão (hohoho). "Coloco uma Istoé no meio dos livros?", pergunto meio brincando. E ri “Não, não,não fica bem...” Uma das fotos ele fez no sofá. “Fica tranqüilo, que não vai ficar Ilha de Caras não”. Rimos.
Amoríssima.

Pra a Frau Cintra, que é fotógrafa e muito amora :)


23.04.02
Eu estou vestido com as roupas / E as armas de Jorge / Para que meus inimigos tenham pés / E não me alcancem / Para que meus inimigos tenham mãos / E não me toquem / Para que meus inimigos tenham olhos / E não me vejam / E nem mesmo um pensamento / Eles possam ter para me fazerem mal...




Finalmente o santo-que-protege-os-finais-de-semana-divertidos olhou pra mim. Não que eu não goste de passar os sábados e domingos em casa, adoro. Mas, às vezes, é preciso ganhar rua.

Sábado Acordei às dez e fui encontrar com a Eliete, para ver o imóvel que ela está a fim de alugar, na Gávea. Ela estava com duas amigas que rapidamente se tornaram minhas amigas de infância: Renata Macário e Marisa Levacov. Foi muito divertido, ficamos horas examinando atentamente o apartamento, que está muito bem conservado e parecia muito amplo para um quarto-e-sala. Dali nós fomos comer salada no Shopping da Gávea. Saladas deliciosas e fáceis de fazer. Pedimos duas saladas e um carpaccio de salmão para dividirmos, estávamos duríssimas.

Nem precisa pedir a receita para o garçom. Basta olhar e copiar em casa. Uma se chamava Pétalas de Cebola e, claro, pedimos também por causa do nome. É assim: endívias como se fossem conchinhas e dentro, queijo brie derretido. Alface normal e americana, cebolas carameladas. Abafa. A outra: kani, pedacinhos de manga e alface.

Cheguei em casa por volta das seis. Às dez fomos pro (ex) quiosque dos ingleses, na Lagoa. Três casais, foi bem legal. Conheci uma Roseana que ao contrário daquela outra, é uma mulher muito interessante.

Enquanto nós três conversávamos sobre as nossas biografias, os homens conversavam sobre política e trabalho. 
Quando as mulheres se encontram pra conversar o universo inteiro estremece.




Domingo Fomos para o sol ; depois almocinho em casa e cineminha de noite.


22.04.02
Que objeto você salvaria de um incêndio?

Eu trabalhava num lugar muito chato e estava grávida do meu segundo filho. Junto comigo trabalhava um rapaz lindo, chamado Nerinho. Ele era amigo do Henfil. Um dia eu pedi pra ele falar pro desenhista pra fazer uma Graúna pra mim, de bic, num papel. Não se falou mais no assunto. Dias depois fiz aniversário. O Nerinho foi na minha casa e me deu de presente um quadro, que ele mandou emoldurar.

Era assim: A Graúna grávida, o Zeferino e a Grauninha. De dentro da barriga da Graúna, O Henfil puxou um balão e escreveu: E eu!

Em cima do desenho, dentro de um grande coração, estava escrito o meu nome, o nome do meu marido e o da minha filha.




Fiquei vidrada na cadeira. Como não confio no diretor, de vez em quando tapava os olhos com a mão e assistia pelas frestinhas. Não dá pra comer pipoca. Tem humor, mas é tenso. A trilha sonora é de arrepiar. Chega um momento em que você pensa que não vai compreender o final, tamanho o labirinto. Que nada. Termina de uma maneira bárbara, assim como bárbaro é todo o resto.

Naomi Watts (gravem este nome) me lembrou muito a Nicole Kidman, só que (ainda) melhor atriz. Cidade dos sonhos é puro clima e completamente "lynchiano". Aparentemente sem pé nem cabeça, tudo se encaixa de maneira perfeita no final. Filmaço.


21.04.02
Domingo

Quinze para às onze, noite Cidade dos sonhos, de David Lynch, em uma apenas uma palavra: GENIAL.


20.04.02
Nem só de internet vive o homem. Fui.


Sábado, 21:00 Uma "amiga-espiã", que de agora em diante chamarei de Ms. X, me manda um email que vou dividir com vocês.

Rio de Janeiro, 19 de abril de 2002

Com a nota abaixo, encaminhada à imprensa hoje, esperamos esclarecer definitivamente as especulações infundadas de qualquer veículo de mídia sobre a TV Globo e evitar que tenhamos de gastar com questões menores tempo tão precioso de nossas atividades:

"A família Marinho lamenta as especulações que estão sendo veiculadas na imprensa sobre a TV Globo. Por isso, julga essencial informar que considera impecável a condução que Marluce Dias da Silva vem imprimindo, não só à TV Globo, mas também à Globosat, Globo.com e Som Livre, empresas sob sua responsabilidade. Jamais cogitamos de prescindir do seu comando à frente dessas empresas.

De fato, a participação da TV Globo no mercado publicitário vem crescendo desde 1998, ano em que Marluce assumiu sua direção. Mas, como milagres não existem, tal patamar é duradouro exatamente porque a participação na audiência também cresceu. Em 98, o share de audiência nacional (7 às 24h) era de 48% e, no mesmo período de 2002, cresceu para 53%. No horário nobre, esse crescimento foi ainda maior: de 49% para 57%. Os 10 programas de maior audiência da televisão brasileira são da TV Globo, bem como 80% dos 50 programas líderes. Esses números, apesar de impressionantes, nãocontam tudo. Graças à liderança da Marluce, a equipe da TV Globo continua criando uma programação de alta qualidade e gerando os recursos necessários para financiar diversos outros negócios. Consideramos sua presença essencial para enfrentar os novos desafios que surgirão.

Por fim, sobre o retorno do Boni, os dados acima e diversas declarações anteriores, de ambas as partes, deixam evidente que não há interesse nem necessidade no seu retorno."

João Roberto Marinho
Roberto Irineu Marinho


Giro da sexta Vi Casa dos Artistas, é muito bem editado (será mtv?), depois começou Ratinho, com o Zeca Pagodinho. Carioca demais, cheio de ginga, tendo que caitituar seu cd, quando gostaria de estar em Xerém - tenho medo dele virar suco. Daí passou um comercial de profundo mau gosto, da Bacardi ("Gostou da galinha?"). Fui pra Luciana Gimenez mas o merchandising que ela fazia era tão longo e como ela não sabe fingir que não está lendo no telepronter, troquei pra Record e estava começando a Adriane Galisteu. Coloco lá pra ver que roupa ela está usando e mudo pra outro. Volto pra ela. Ela está apresentando um índio. Um índio que trabalhou numa academia de ginástica e mora em Niterói. Ele está vestido a caráter, de forma que as mulheres do auditório começam a uivar. Ele é todo marombado e ela conversa com ele como se ele fosse uma criança ou um poodle. Hoje é dia do Índio, ela diz. Desligo.


CONVITE

Como disse o Mauro Rasi, no outro dia no Segundo Caderno, as coisas no Brasil são tão perecíveis que o fato do Celeiro estar fazendo vinte anos e continuar mantendo a qualidade, soa quase como um Coliseu. Pois o bar Fiorentinoaestá fazendo 22 anos e vai comemorar de um modo muito charmoso, reunindo onze dos melhores caricaturistas do país para uma série de exposições com caricaturas inéditas de personagens da música popular brasileira. A primeira será no dia 22 de abril. Os desenhos estarão à venda e foram reproduzidos também nas toalhas de mesa. O mestre Jaguar assina o catálogo, dizendo que agora o Fiorentina passa a ser, além de um bar perfeito, "um templo da melhor caricatura do Brasil”. Os clientes receberão, junto com a conta, cartuns do Nani. Melhor que isso, estraga.


Dica: Se alguém algum dia quiser me torturar, me deixa trancada ouvindo a voz da Sandra Anemberg.


Alguém aí conhece uma mulher Nova? A quem é dirigida esta revista? Nunca entendi. Provavelmente é feita para uma mulher que gostaria de ser assim: executiva, chefe, linda, sem barriga, impecavelmente vestida, closet lotado de roupas da Daslu, que dirige seu próprio carro, sua própria vida, tem personal training, sabe trocar pneu, é sexualmente ousada, é livre, tem cheque especial e de noite sacia os sonhos eróticos do seu amante.

Eu conheço uma mulher que se fez sozinha. Nos conhecemos quando tínhamos uns cinco anos. Correndo atrás ela hoje tem uma empresa que detém o monopólio no mercado. Ela é bem-sucedida, rica, etc e tal. Mas que eu não consigo imaginá-la de noite, depois de um dia duro de trabalho, tomando banho de champanhe e comendo morangos numa banheira. Nem perdendo tempo lendo a Nova.


Ouvi na CBN, agora: Uma norte-americana está pedindo uma indenização de 100 milhões de dólares ao ator Marlon Brando, 78 anos (!). Ela diz que tem três filhos com ele, que sempre pagou as despesas escolares das crianças. O relacionamento acabou em dezembro.


14:45 A rede onde eu gostaria de estar agora não é bem esta mas aquelas feitas no nordeste. Para poder me entregar ao livro O cérebro nosso de cada dia, da Suzana Herculano-Houzel.

Eu nem ia comprar esse livro mas estava conversando com o cara da Sete Letras sobre literatura e internet e ele falou sobre o site dela e me interessei e acabei comprando o livro. Nem que eu viva cem anos vou preferir a tela ao papel.

Só li a primeira página e a linguagem dela é muito coloquial, por isso me interessei. Não tenho costume de ler teoria. Outro motivo foi a orelha.

Olha: tem a carinha da autora, que parece ter dezessete anos. Na verdade tem 29 (criança!), carioca e, saca só, é doutora em Neurociências pela Université Paris VI e mestra em Ciências pela Case Estern Reserve University, EUA. Trabalhou 3 anos no Instituto Max-Plank para Pesquisa do Cérebro, na Alemanha. Atualmente trabalha no Museu da Vida da Fundação Oswaldo Cruz. Se dedica à pesquisa da história da neurociência e projetos de divulgação das descobertas científicas sobre o cérebro. Ainda é casada e tem uma filha. Que tal?

Logo de cara acaba com esse mito de que usamos dez por cento da nossa capacidade cerebral. Vou falar muito dela depois de ler. Comentei com o livreiro "como ninguém conhece o trabalho de uma pessoa assim?". Ele: "Agora ela já está bem conhecida". Putz, ando por fora mesmo.

Assim com os anos 90 foi a década do Coração, 2000 é a década do Cérebro.


Agenda de prazeres Uma amiga-querida , gaúcha, está vindo morar no Rio. Vai morar na Vieira Souto, olha só. Nunca coloquei os pés num apartamento da Vieira Souto, imagina. Então combinamos fazer um piquenique, aproveitando que o apê ainda está vazio. Toalha xadrez e tudo mais, talvez vinhos além da conta. Vamos passar numa padaria pra comprar queijos, pães, essas coisinhas. Não vejo a hora de ver a vista e poder olhar o Arpoador do alto - e olha que isso é o que menos importa :)

Na terça vou encontrar minha tia. Ela disse que precisa contar coisas da vida dela ("que se foi com o vento"). Ela precisa contar, eu preciso ouvir ela falar dela, da sua juventude. Da irmã dela, minha mãe. Estou ansiosa.


18.04.02


1:50 Lutando contra o sono. É muito bom na hora que ele finalmente vence e você vai a nocaute.


17.04.02
Saia justa, na GNT Achei legal porque é ao vivo.


 Cheguei, baixei, saravei


Peguei um táxi, o motorista tinha os cabelos lisos, compridos e louros, presos num rabo de cavalo e usava óculos de sol. Senti que ele não gostava de papo e fui ler O Dia, que estava a disposição do passageiro. Na volta peguei um sósia do Joãosinho Trinta e ficamos amigos. A corrida saiu por 5,70 mas eu paguei 4 reais, por que só tinha isso ou uma nota de 50. Antes de eu saltar ele falou:

“Sua voz parece com a voz daquela artista...”
“Qual, qual?”
“Não lembro...Aquela, puxa...”
“Tenta lembrar, vai...qual novela? Dá uma dica...”
“Hum...há um tempo que ela não trabalha na tevê...”
“Trabalha no cinema?" Perguntei já com a porta aberta e torcendo pra ser a Sonia Braga
“Não, na tevê...”
"Pelo menos ela é legal?" Perguntei incomodada com a fila de carro que se formava atrás do nosso
“Muito, tem a voz linda!”
“Então ta ótimo, obrigada, ganhei o dia”
“Fica com Deus”
“O senhor também”
E saltei.

Dedico esse post à Bia M.





Edouard Boubat




Gosto de livrarias pequenas e personalizadas, esse negócio de Fnac e Saraiva megastore não é minha praia. Hoje dei um pulo na Sete Letras, pra ficar olhando os livros enquanto esperava minha amiga Eliete Catraio para almoçarmos juntas. Acabei, claro, mesmo sem estar com e$$a bola toda, comprando Pequenas Criaturas (Rubem Fonseca) e O cérebro Nosso de Cada Dia, de Suzana Herculano-Houzel (mais tarde falarei sobre ela). Todos os livros estão com 15% de desconto, de forma que o do Fonseca, que custa 28, saiu por 24. Pra quem é carioca eu recomendo, fica na galeria da Maria Angélica, no Jardim Botânico, e o dono é muito legal, você bate um papo ótimo, ninguém fica empurrando livro pra você. Não sei o nome dele, só que é meio tímido e que tem 30 anos mas parece 23. Ele ficou de passar por aqui, então vou mandar um recado pra ele: perdi o papelzinho! Um beijo!


Tenho escrito muito sobre o meu umbigo, por que os jornais se avolumam na sala e não tenho lido as revistas nem ido aos sites para me informar. Mas ouço a CBN (de 9 ao meio-dia) e existe uma coisa que me irrita muito. São esses anúncios sobre gato, que também passam na televisão. Eles tratam desse problema de desvio de eletricidade só pelo lado da malandragem mas esquecem que existem muitas pessoas que recebem tão mal que precisam fazer um gato por que, caso contrário, não podem ter luz. Essas pessoas são as primeiras a ser punidas. O Governo age como se este fosse o pior dos crimes e a gente está cansado de saber que existem coisas muito, muito mais graves. Além de tudo, o comercial na tv é simplesmente insuportável.


Concurso de miss Brasil. Ricardo Amaral, jurado, pergunta à Miss Amazonas:

"Qual seria a primeira coisa que você mostraria para um turista que visitasse o Brasil pela primeira vez?"
"Eu!"

K., do grupo KLB, no Jogo do Milhão. Primeira pergunta, valendo mil reais.

"O que significa enamorar-se?"
"Pulo!"


(lido no Arthur Xexéo, JB)






It's a long long long long long way/ It's a long way...






16.04.02
"Desde que me entendo por gente, invisto na minha bunda"
Luana Piovani



Todo dia eu olho a folhinha que tem na cozinha, com o desenho de Jesus. É daquelas que você vai arrancando os dias. Tem de tudo ali, piadas, frases, receitas, poesias. Adoro, acho tão singelo. Fui olhar o que tinha pra hoje, madrugada de quarta-feira.

Do dia de semana:Leituras: At8, Lb-8/sl 65/Jo 6,35-40. Santos: Aniceto/ Roberto, abade / Hermógenes.

Eu sou o pão da vida, Quem vem a mim já não terá fome e quem crê em mim jamais terá sede. Jo 6,35

Muito se perde por falta de inteligência, porém muito mais pro preguiça e aversão ao trabalho. Marquês de Maricá

2002.ABR.QUA

3a. semana da Páscoa. Lua nova.





Terminei a primeira e principal parte do trabalho. Hoje era o dia D. Poderia ter terminado antes mas só sei trabalhar de duas maneiras: no meio do caos (mesa cheia de papéis, lembretes com durex pregados no computador, canetas, copos, bolinhas amassadas de papel) e sob pressão. Meu lema é Não deixe para hoje o que você pode perfeitamente fazer amanhã.

Quando eu estudava no colégio de freiras, só de meninas, em julho as professoras nos davam uma pilha de exercícios pra fazermos nas férias. Isso não é coisa que se faça mas deixa pra lá, já passou. Na véspera do início das aulas, à noite, eu sentava pra fazer tudo.

Chegava no colégio com olheiras e comentava com alguém. Sempre tinha alguma que dizia : "Fiz tudo no primeiro dia, pra ficar livre". Arghhh. O mesmo tipo que respondia, quando eu perguntava se tinha um apontador ou uma borracha: "Tenho mas minha mãe não deixa eu emprestar". É duro, viu?




Grande Roberto Freire…!


15.04.02
Segunda-feira Curiosidade: quem vai levantar às seis da manhã pra ver uma Copa que nem Romário tem?




14.04.02
querido diário passei o dia no word enviei algumas dezenas de emails e estou quase completando a mala-direta o telefone pifou não encontramos um sem fio + secretária e acabamos comprando um de 19 reais com um fio do tamanho de um palmo para quebrar o galho até amanhã compramos toalhas de rosto e panelas novas daí me lembrei da Ivanilda que logo que veio trabalhar aqui disse a senhora não é mulher de ter panelas assim a senhora merece tramontina risos foram todos almoçar no botequim mas preferi ficar pra não ficar parando o trabalho toda hora de noite as crianças comeram pizza e quando fui jogar fora a caixa tinham várias embalagens vazias na lixeira do meu andar domingo é dia de pizza mesmo depois assisti um pouco de televisão não almocei nem jantei comi um sanduíche de queijo com pão francês e torta de chocolate que a minha vizinha fez ainda não vi os jornais e as revistas de hoje e vou ficar por aqui até terminar tudo ou seja até o meio da madrug




Não existe coincidência. Tudo está interligado.




13.04.02
Dez da noite Ficar sábado à noite no computador, mesmo escapando pra internet menos do eu que desejaria, não é chato pra mim. Chato é ter que ouvir o sujeito cantando Sullivan e Massadas no Karaokê do play. É incrível, quando alguém canta com microfone sempre acha que está abafando. Lá pra meia-noite sempre tem um que resolve cantar New York, New York. Karaokê só é legal quando vocês está meio bêbado e com os amigos. Pra quem está fora, é uma espécie muito competente de tortura.


Egoísta é aquele que não pensa em mim (Eugène Labiche).



Vai, Roseana. E, por favor, não volte. Seus olhos desmentem sua carinha de vítima. Tchauzinho.


Lindo: Paulinho Moska cantando Amores Possíveis.


Sempre tive muita sorte com motoristas de táxi. Nunca peguei nenhum que não fosse gente fina. Claro, já peguei alguns antipáticos mas nenhum que tenha me roubado, fosse tarado ou coisas assim, que saem nos jornais. Eu poderia escrever uma crônica sobre eles se a minha memória ajudasse. Mas existe um que eu nunca esqueço.

Pegar táxi sozinha, de madrugada, é meio perigoso. Eu todas as vezes que precisei, depois de uma noite pra lá de bagdá, sempre pensei "Anjo da guarda, segura minha mão e vamos nessa".

Numa dessas pós-noitadas, o carro parou e o motorista era parecido com o Jamelão. Assim que sentei, depois de perguntar para onde iríamos, ele começou a cantar, com uma voz grave e muito alta: "Boa noite, amor, meu grande amor, contigo sonharei...".

A música predileta da minha mãe. Era um sinal, suspirei aliviada. E até e chegarmos na minha casa, ele foi desfiando seu repertório. E eu atrás, aplaudindo. Super fim de noite.


Coleções Já colecionei selos, quando eu tinha uns doze anos, cheguei a ter muitos. Até descobrir que eles, para ter algum valor, precisam estar em perfeito estado. Joguei tudo fora. Vamos combinar que colecionar selos é a coisa mais monótona da vida, né? Depois colecionei postais. Cardápios. Sereias. Poemas escritos por poetas, de próprio punho. E frases, que coleciono até hoje.

Tenho saudades do FHC ateu (Dom Mauro Morelli)
Viver é desenhar sem borracha (Millôr)
Fazer política é namorar homem (Rubem Braga)
Nunca me aconteceu desejar um homem e não tê-lo (Tonia Carrero)
Champanhe não é bebida. É perfume (Vera Fischer)
Rabo e conselho só se deve dar a quem pede (Stanislaw Ponte Preta)
O diamante é a melhor parte da mulher (Patricia Melo)
Hollywood é o óbvio olulante (Nelson Rodrigues)


palavras que eu não aguento mais ouvir:

mídia marketing silicone clonagem reality show dna


12.04.02
Essa foi a melhor do ano: Victor Belfort não acredita em múmia.




Dane Shitagi




Aviso importante: Esta horta não contém agrotóxicos.





Bêbado na internet. Roubei do Nando.





sexta, 3:30 da tarde

fazendo: trabalho no word
ouvindo: beth carvalho canta nelson cavaquinho
bebendo: chá de espinheira santa (úlcera)
comendo: mussarela

O nome de mulher é tão sagrado / Mulher é nome para ser respeitado / A cobra não morde uma mulher gestante / Por que respeita seu estado interessante...





Ainda sobre o episódio dos Simpsons, passado no Brasil, fala Ivan Lessa:

"No tal episódio, Blame it on Lisa, os Simpsons vão ao Rio em busca de um órfão desaparecido que eles pretendem adotar, o Ronaldo. São atacados por macacos em Copacabana. Numa favela, ratos os impedem de atravessar a rua. Uma jibóia engole Bart no Pão de Açúcar. Homer é seqüestrado. A conga é forma de transporte e dança-se lambada e macarena. Crianças assaltam a amarelíssima família. Um policial dá em cima de Marge. Bart, no hotel, fica vendo uma espécie de Xuxa fazendo strip-tease na TV.

O Rio deu sorte com os Simpsons. Melhor o ridículo ao horror da realidade".

Assista aqui o episódio.











Regando minha horta de abobrinhas :)



Conforme o mundo vai evoluindo, digamos assim, o homem vai se enchendo cada vez mais de frustrações: você telefona pra alguém, a secretária avisa que não tem ninguém em casa, você liga urgente para um celular e ele se encontra desligado ou fora da área, espera um email e ele não chega, liga a internet e o provedor está off. O fax quebra na hora que você precisa mandar o papel. O dvd enguiça, o computador trava, você deleta coisas sem querer. Depois a gente se pergunta, como eu conseguia viver sem isso?

Da mesma forma que a gente consegue viver sem aquela coisa espetacular que ainda vão inventar e a gente não vai poder viver sem.






11.04.02
Segundo Caderno

Barbie A bonequinha de luxo Liz Hurley vendeu por US$2,5 milhões os direitos de publicação das primeiras fotos do seu bebê, que acabou de nascer. Curioso que ela sustenta que o pai da criança é o milionário Stephen Bing, enquanto alguns tablóides afirmam que seria Matthew Perry, o nosso querido Chandler Bing. Ou é um Bing ou outro. Coinciência, né?

Mulheres, cheguei O pão Olivier Anquier está solteiro.

Cor de canela Franceses sentam no chão pra ver Dona Flor. Salve Sonia Braga, que é bonita, é bonita e é bonita.

La vie en rose O marqueteiro Nizan Guanaes enviou o decorador Sig Bergamin para Paris, para arrumar seu apartamentão de quatro quartos. Quem pode pode, quem não pode se sacode.



Catherine Deneuve e Pierre Clementi, Belle de Jour



10.04.02
As pessoas estão perdendo a capacidade de concentração ou sou só eu? Na internet são tantas janelas abertas ao mesmo tempo, na tevê a gente fica zapeando o tempo todo. Eu pego um jornal começo a ler, no meio troco por uma revista, largo e pego um livro, abro um site, leio metade, volto pro word, vou pra um blog, leio um post e vou pra outro.A gente não anda "editando" de mais? Pode ser também que eu esteja muito ansiosa.


Na mesma revista, soube que 62% das crianças nascidas no ano passado na Islândia são frutos de relações extraconjugais. Na Noruega esse índice é de 49%. Na Inglaterra, 38%.





Hoje vi no JN que vi os sem-teto apanhando dos homens uniformizados. Alguns foram presos. O governo trata casos sociais como se fossem casos de polícia.





De hoje em diante eu vou modificar o meu modo de vida.




                          


Salve Santa Rita de Cássia!

                              


09.04.02
Eu vim pra confundir, dizia o Chacrinha. E deve ser essa a filosofia das pessoas que jogam textos - quase sempre medíocres - na internet, usando assinaturas de escritores geniais, como Clarice Lispector e Luiz Fernando Veríssimo. Este último inclusive já avisou na sua coluna que andavam atribuindo a ele coisas que ele nunca escreveu. Pior que sempre tem alguém que acredita, republica e assim vai se alastrando. No outro dia li uma "crônica" de extremo mau gosto, que levava seu nome. Basta ler a primeira linha pra ver que não é dele.

Como ele mesmo disse, o "leitor mais arguto logo percebe que o texto não é meu: não há nenhuma referência ao Éfe Agá". Rarará.


Mau gosto perde li no JB que anda circulando um email na internet, como se fosse uma nota da Patricia Pillar à imprensa, descrevendo sintomas do seu "caso raro de câncer". Tudo mentira de quem não tem mais nada pra fazer na vida. O jornal diz ainda que a atriz está bem e se prepara para fazer sua última sessão de quimioterapia.


Por falar nela, lembrei agora de um episódio ocorrido há muitos anos. Era semana do Natal e eu e minha mãe estávamos comprando um presente para a Amora, nossa beagle, numa loja chamada Mundo Cane. Coincidentemente, ela também estava lá, comprando lembrancinhas para os seus cachorros, que eram da mesma raça. Não dava pra tirar os olhos dela. Quando chegou a hora de pagar, as vendedoras perguntaram se era para embrulhar para presente. Simultaneamente minha mãe respondeu sim e a Dina Sfat disse: "Não precisa, também não sou tão louca assim". Fiquei morta de vergonha. Ainda não existia a palavra mico.





Gosto tanto de casas, é quase uma fixação. E é muito interessante como elas refletem a vida da gente. Uma vez li uma entrevista da Dina Sfat, que morava numa linda cobertura no Leblon. Ela contou que na primeira grande briga que ela teve com o Paulo José, o chão afundou. Quando resolveram se separar, parte do teto caiu.

(queria muito ilustrar esse post com uma foto dela - que era linda, corajosa, grande atriz e uma mulher muito interessante. Mas só achei no Google uma foto muito pequeninha. Meu sonho era fazer um site que reunisse fotos, entrevistas, frases e biografias de atores e atrizes brasileiros)




08.04.02
Jornalista: Com que celebridade do sexo feminino você gostaria de jantar?
Nelson Piquet: Ah, não! Mais um jantar com celebridades, não. Me dá um tempo!

(lido numa coluna de frases da então Exame-vip)

Sempre preferi o Piquet ao Ayrton Senna.






Jakob Nylund





Vida louca, vida... Você acha que existe alguma coisa pra ser mexida no corpo da adolescente Daniela Sarayba? Se respondeu não, se enganou. A modelo de 17 anos acabou de se submeter a uma lipoaspiração para tirar os excessos. Dezessete anos. Alguém me diga, fui eu ou o mundo que pirou?




O público é vítima ou cúmplice da tevê?

Há um contrato entre as partes. Aceito tudo como verdade, caso contrário, não me divirto. É um pacto simbólico. Eu lhe dou um programa parecido com as expectativas culturais que você tem e você fica ligado em mim. Não vou dar nada acima do seu horizonte cultural possível. À medida que vou recebendo programas que posso entender sem esforço, que me divirtam, vou me tornando cúmplice de tudo aquilo que a televisão me dá. Não é que a televisão me imponha. Vou aceitando e cada vez mais sou parte e não vítima. Afinal, sou eu quem liga e desliga a televisão.

(Professor Muniz Sodré, em entrevista a revista Isto é, sobre seu novo livro O Império do Grotesco, em parceria com Raquel Paiva)


07.04.02

Cozinha Uma das coisas boas de 2002: trocamos a carne de boi pela soja. Você não imagina o que é uma almôndega (fica crocante) ou um bife muito bem temperado com cheiro verde e tudo mais. É simplesmente delicioso, o bife, a carne moída, as almôndegas.Na verdade só muda o formato, claro, e pra ter liga tem que ser com farinha de trigo comum e não integral. Além de gostoso, o saquinho de soja custa um real e alguma coisa e dura bastante. Deviam dizer isso no horário nobre da televisão. Se você é carnívoro, essa hora está torcendo o nariz mas se nunca foi muito ligado a carne vale muito a pena experimentar :)




Mas que ladeira/ Que ladeira é essa / Essa é a ladeira da preguiça...


06.04.02
Acabaram os quinze minutos do Supla?



Sábado de noite
Fazendo: Mailing gigantesco
Ouvindo: Charlie Brow Jr. ao vivo no luau da MTV
Comendo: Yakisoba, China Box


Biscoitinho da sorte: Os seus talentos serão reconhecidos e recompensados à altura. Amém.


Li na revista Dinheiro que o Boni gastou 33 mil reais no restaurante Fasano, em São Paulo. Ele e os amigos beberam uma sequência de vinhos Le Grand Lapin, safras de 1983 a 1989. Foram tantas garrafas que Rogério Fasano pensa em levar o caso ao Guiness. 
Minha nossa.


A alemãzinha de 17 anos voltou para sua terra. Ou seu planeta. Porque é tudo tão diferente que não parece ser apenas outro país no mesmo mundo.O pai dela é bancário e a mãe está estudando pra ser professora: eles moram numa casa de quatro andares. Ela disse que uma das profissões mais bem remuneradas é a de lixeiro, por que ninguém quer ser. Só faz faculdade quem tem vontade, ela por exemplo está pensando em não fazer. Não existe essa "obrigatoriedade" como aqui. Quando ela e os amigos estão a fim de fumar um baseado dão um pulo rápido na Holanda.


"Se a blusa de lycra não fica bem em mim, problema da blusa de lycra". Irene Ravache




LeRoy Grannis





05.04.02
Minha hóspede alemãzinha foi ao Corcovado. Hoje foi dia de festa lá em cima, o Cristo foi escolhido o lugar mais bonito do Rio. Estava lotado, muitos alemães e turistas de todos os cantos. Ela tirou foto abraçada com o "bambam", mesmo contra a sua vontade. Ela acha ele "very stupid".




"Nunca, em toda a minha já longa vida, vi uma 'transição' de governo tão mal posta, na absoluta irresponsabilidade. Deus nos proteja". De um político carioca do PT, de responsa.


Currículo Uma vez, no Copacabana Palace, pedi um autógrafo pro Sting e ele disse "Sorry, I am going to take a leak".


04.04.02
Ontem quebraram o vidro do carro do carona do filho do meu irmão. Levaram celular, cds e som e... deixaram um telefone para contato!


02.04.02
"Essa noite o Arafat dormiu melhor do que eu", de um amigo morador da Tijuca.





Casa dos Escritores 2

Faulkner: A gente deve se aproximar de Ulisses, de James Joyce, como os pregadores batistas e analfabetos se aproximam do Antigo Testamento: com fé.
Virginia Woolf: Ulisses é prolixo, insuportável e pretensioso.
Borges: Não li Ulisses, acho que ninguém leu, não se chega nunca a conhecer os personagens.
Dylan Thomas: Não creio que tenha sofrido influência de Joyce, apesar de admirá-lo enormemente. Li Ulisses e seus primeiros contos. Acho que o título do meu livro (Retrato de um artista quando jovem cão) não tem nada a ver com o dele (Retrato de um artista quando jovem).
Anthony Burgess: James Joyce é o maior. Eu o coloco acima de todos.
Virginia Woolf: Me tornaria com prazer o gato de Shakespeare, o porco de Scott ou o canário de Keats, se assim pudesse compartilhar a convivência destes grandes homens. Mas não atravessaria a rua para jantar com Byron ou Dickens.
Borges: Garcia Lorca sempre me pareceu um poeta menor. Um poeta meramente pitoresco. Ernest Hemingway acabou se matando por que descobriu que não era um grande escritor. Isto o salva, em parte.
Virginia Woolf sobre Katherine Mansfield: Acho que terei que aceitar que sua inteligência é uma fina
camada de terra, de um ou dois centímetros de espessura sobre rocha muito estéril. Pois Bliss é bastante longo para lhe dar oportunidade de ir mais fundo. Escreve mal.Borges, sobre Beckett: Não me interessa em absoluto. Meu pai, que era muito inteligente, me instruiu uma vez a não ler os autores chatos. Fazer tal coisa, insistiu ele, é pecado.
Vargas Llosa: Faulkner foi o primeiro romancista que li efetivamente com lápis e papel na mão, porque sua técnica me deslumbrou.
                                                               





Casa dos Escritores 1

Num grande envelope de papel manilha, Simenon colocava os nomes dos personagens, suas idades, suas famílias: "Nada sei a cerca dos acontecimentos que ocorrem depois. De outro modo a narrativa não seria interessante pra mim".
Dickens ao escrever se engasgava de tanto rir diante de seu próprio humor, deixando cair lágrimas sobre a página quando um dos seus personagens morria.
Hemingway escrevia em pé.
Kliping: Para meu tinteiro exijo a tinta mais preta, e se eu estivesse em casa de meu pai, como antes, manteria um rapaz hindu para moer a tinta indiana. Todos os meus blocos de escrever eram feitos para mim, num formato imutável de folhas azuis com margens brancas, que eram por mim extremamente esbanjadas.
Henry James fazia um esboço de cena por cena antes de iniciar o romance.
Faulkner: Ouço vozes. Enquanto escrevo o que as vozes dizem, a coisa está certa. Nem sempre gosto do que as vozes dizem, mas procuro não modificar nada.
Dorothy Parker: Não consigo escrever cinco palavras sem que modifique sete.





Não sei me maquiar e nem passar batom sem espelho. Me desequilibro em saltos agulhas. Fico aflita em cabeleireiros. Já andei a rua Jardim Botânico inteira descalça por que a sandália me machucava o calcanhar. Quando vou a um casamento ou a uma festa formal, pode acreditar que alguma coisa em mim está inadequada. Se a bolsa, os sapatos, o cabelo e o vestido estiverem corretos, repare atrás da minha orelha. Uma das tarrachas do brinco está improvisada com um pedacinho de borracha escolar.






Que seriam das promessas se não fossem as segundas-feiras?


Uma loura chegou no cassino, tirou a roupa e, completamente nua, falou: "Vou jogar e vou ganhar". Jogou os dados e disse "Oba, ganhei!", recolhendo a grana. Todos os homens se perguntaram que números tinham saído e ninguém sabia dizer. Moral da história: Nem todas as louras são burras mas todos os homens são iguais :)