Essa novela insensato coração é tão levinha, né? #fail
27.04.11


                                                                       Paparazzo

Scarlett Johansson





blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablablá.
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablablá





O amor que era muito se acabou.



24.04.11
Bastidores Para conseguir o efeito desejado na mudança do cenário dos jornais da Globo, a emissora paga 1 milhão por mês para o Jóquei manter as luzes acesas.





                                                         Feliz Páscoa




23.04.11

Salve Jorge, meu camarada.




Hoje o bloWg faz 10 anos :)



21.04.11
Tanto que fazer!
livros que não se lêem, cartas que não se escrevem,
línguas que não se aprendem,
amor que não se dá,
tudo quanto se esquece.

Amigos entre adeuses,
crianças chorando na tempestade,
cidadãos assinando papéis, papéis, papéis...
até o fim do mundo assinando papéis.

E os pássaros detrás de grades de chuva.
E os mortos em redoma de cânfora.

(E uma canção tão bela!)

Tanto que fazer!
E fizemos apenas isto.
E nunca soubemos quem éramos,
nem para quê.

(Cecília Meireles)





A Cidinha Campos perdeu uma ótima oportunidade de ficar calada. Estava escrevendo exatamente um post sobre isso, a hipocrisia de quem é contra a proteção animal porque existem pessoas passando fome. Respeito a causa de todos, cada um que busque a sua para tornar o mundo um pouco mais viável.

A deputada falou em seu programa de televisão que é um absurdo a justiça perder tempo com os animais. Vou explicar.

Existe um chimpanzé chamado Jimmy, que está enjaulado há 26 anos na Zoonite de Niterói. Uma protetora está tentando, através da justiça, levá-lo para um santuário, onde ele terá uma vida digna. Pois hoje a apresentadora disse que é uma palhaçada usar a justiça para causas animais. Porque muitas pessoas não têm casa. Ahn? Me expliquem a relação de uma coisa com a outra. Ela não entende que os animais dependem de nós para defendê-los, e não sabe que maltratar animais é crime? As pessoas são hipócritas, e políticos de quinta mais ainda. Todos deveriam ter mais respeito pelos que sofrem, humanos ou não.

Agora, checando no Google, li que a justiça não reconheceu o habeas corpus impetrado em favor do chimpanzé, pois só é cabível para seres humanos. Quer dizer, que droga de país é esse? Que pessoas são essas que impedem um simples gesto de retirar um animal de uma jaula e colocá-lo num lugar decente? Por que tanta crueldade? Acúmulo de frustrações? Meu Deus, Meu Deus.




20.04.11

Lolita, de Stanley Kubrick.



Comenta-se que Scarlett Johansson está grávida --------> Sean Penn.






via



A Arezzo foi obrigada a retirar a coleção Pelemania (Abs aos publicitários, ou o pessoal do mktg, que bolaram um nome de tão mau gosto), por causa do excesso de crítica do pessoal do twitter onde, evidentemente, me incluo. Mas só as peças feitas de raposas. Os produtos com pele de coelho continuam na coleção. O mundo não deu certo por isso. Porque o homem acha que é dono da natureza, e dos animais. Acha que é dono de tudo que está a sua volta: montanhas, passarinhos, baleias, ar, lua, carneiros, gatos, cachorros, árvores, elefantes, coelhos, rios, mares. Não entende que é apenas um grão. O planeta vai acabar por excesso de pretensão.

                                                                    

                                                              Paparazzo
Scarlet e Sean



18.04.11

Os hippies de Veneza
jogavam milho aos pombos
durante o sol.
Usavam chapéus e brincos
e vinham desse descobrimento
chamado América.
O francês me oferecia mapas
e refrigerantes
e se dizia Patrick, quando eu
já intuía.
O romano pintava quadros
reais de pessoas fictícias
E narrava o caminho das gôndolas.
..................................................
Você só queria um pouquinho
do meu perfume pra guardar
num vidrinho vazio.

(Trecho - 1981 - Para Eme)

Achei meu caderno de poemas.





Ah, o amor Não vi, mas um amigo me contou. Chico Buarque e namorada cantarolando na mesa de uma famosa pizzaria carioca.


17.04.11



Sábado e domingo Fui pra fazenda da Helena. Tão bacana ver a natureza reinando absoluta, as montanhas, o horizonte, tantas estrelas. Tom Jobim. Cavalos, piscina aquecida, imensidão. Silêncio, muito silêncio. Pássaros de todas as espécies, pés de limão, e todas as frutas. Estradinhas de terra. Polenta. Leite de verdade. Lareira. Horta, pomar. Ar puro. Lua cheia.

Minha máquina quebrou, levei a de filmar. Os filminhos ficaram um desastre. Salvei alguns só para ilustrar, não me julguem. Se eu soubesse editar poderia salvar alguma coisa, mas não. A sorte de vocês é que duram 5 segundos, ou menos.

A casa é cercada de araucárias, o que considerei coincidência. Comi seus frutos cozidos, delícia. Estou bem coradinha.

A rede
Meu elemento.
Araucária.

Eu crente que estava abafando na panorâmica.




15.04.11




Não joguem chiclete na rua. Joguem na lata de lixo. Por causa dos passarinhos, eles morrem.


14.04.11


Ando tão apaixonada pelo Vinicius.

                                                                         


29 Fitzroy Square, London Onde Virginia woolf viveu com seu marido. 
© Anthony Blagg      Aqui.



13.04.11
                                                           Casa dos Artistas


Nicole Kidman e Keith Urban, Sydney

Sebastian Bach, Eisenach



Descobridor dos sete mares - notícia que não chega - itaú - telefonema que demora - diarista - noblesse oblige.



Lojas que têm tudo para o lar me enlouquecem. Macalé e eu fomos a uma dessas, no Humaitá. Comprei luva de silicone para fazer par. Xícara do Homem Aranha, e só. Apesar de ter comido peixe ontem, precisava comer algo de verdade, em vez de pão com queijo, no caso, feijão. Gula Gula. Pedi prato de criança, no lugar do bife, ovo, mas o feijão de lá é muito ruim mesmo. Já tinha provado antes, não tem tempero. Ganhei presente lin-do, por influência do advogado. Bonn, Frankfurt, Dresden, Floresta Negra etc. Táxis. Se a vida me leva, quem sou para contrariá-la? Marina, Rainha da Araucária. Hoje conheci uma outra pessoa.



                                                              Casa dos Artistas
Bob Marley, Jamaica



12.04.11




Como sou uma mulher intensa, como dizia meu ex-chefe, ainda é terça, mas parece que já é quinta. Ontem bancos (plural), Zona Sul, loja de costuras pegar meu vestido de botões (é), e outras coisas prosaicas. No fim da tarde Jards Macalé telefonou para almoçarmos, e bagunçou tudo. Fomos ouvir as diversas versões de Ne Me Quitte Pas. Pizza, Coca-Cola. Gorro, São Jorge, navio no teto, Marlene Dietrich cantando Luar do Sertão. Tudo bem, hoje saí para resolver coisas, quando volto, email delicado do mktg: Alemanha não é só Berlim. Alemanha é mais. São várias cidades. Então meu trabalho não acabou. Há tanto tempo não sei o que é comida de verdade, tipo feijão. Toda hora a internet cai: wireless. Descobertas na terapia: zero. Ouvindo: nada. Vendo: Vale Tudo. Lendo: guias de viagem. Comendo: queijo. Bebendo: café pingado.




Denzel W.


blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablablá.
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablablá



10.04.11


Ana Karina et Godard


Muito bom. #lost


~ A sorrir eu pretendo levar a vida ~


Domingo Sempre que vou na casa do compositor passo mal. Não é aquele passar mal que atrapalha alguém, é aquele que a gente fica pensando: "Por que eu não morro agora?". Ele falou: "De novo?". O caso é que, por coincidência, todas as vezes estava em jejum. Então no segundo copo de cerveja eu fico assim, bem enjoada. Mas daí tomei uma coca-cola e pá. Assistimos Seinfeld & Irmãos Marx, Comi não sei quantos pastéis no restaurante.Em duas semanas conheci mais gente do que no ano passado inteiro. A Elisabeth é a única normal, mas não vamos falar disso.

Amanhã tem início a vida real, e fim das minhas férias, que começaram na quarta.

"Tudo está no seu lugar, Graças a Deus, Graças a Deus". Minha mãe sempre chegava em casa do trabalho cantando essa música. :D

Quero logo outro trabalho. Rápido, rápido.



08.4.11

Para JFS

                                                                     
                                                                            Paparazzo
Renata Sorrah


Cheguei, dormi, acordei, novela. Sexta-feira, prefiro me divertir à tarde, e passar a noite em casa, tipo deitar na cama na vertical e ficar vendo a novela das oito. Hoje o Leo (Gabriel Nunes) foi roubar chave em bolsa de mulher. O Billy Wilder diz que nesse tipo de cena, não importa se o personagem é vilão ou mocinho, o público torce pra pessoa não ser flagrada. Deque de madeira maleável, e meus segredos. Ouvindo música em silêncio.


07.04.11





Ah, quem me dera ir-me contigo agora
A um horizonte firme, comum embora
Ah, quem me dera amar-te sem mais ciúmes
De alguém em algum lugar que nem presumes...

Ah, quem me dera ver-te sempre ao meu lado
Sem precisar dizer-te, jamais, cuidado
Ah, quem me dera ter-te.
Morar-te até morrer-te

(Vinicius de Moraes - Jards Macalé)





O destino do poeta é coisa deleGlauber Rocha Torquato Neto


06.04.11


Lindsay Dee Morgan Jade Lohan


Hoje me contaram uma ótima. Não é piada. Falávamos sobre Portugal, e uma pessoa disse que foi a um restaurante onde estava escrito na parede: FRUTOS DO MAR. Então pediu um prato, e o garçom falou: "Não servimos frutos do mar." Ela então disse que estava escrito etc. E ele respondeu: "Quer dizer que se eu escrevesse Nossa Senhora de Fátima teria que servir Nossa Senhora?". Ahahaha.





Um filme. Chorei do início ao fim.

                                                                     Paparazzi
Lindsay Lohan




O dicionário de marina w.

a personagem é para mulher, o personagem é para homem.
àquilo é errado.
em vez de este, usa-se esse sempre, porque o T não deixa a palavra deslizar na frase. O mesmo se aplica a isso e isto.
o trema não acabou.
nem o hífen.


A felicidade existe porque entreguei o trabalho. Quando fui revisar pela milionésima vez vi que tinha escrito tranqüilo, e tirei o trema. Não sei se escrevi ideia com agudo, não sei nem se escrevi a palavra ideia em algum momento. Essa nova ortografia é só para ganhar dinheiro com livro escolar. Não posso reler mais o que escrevi, preciso cuidar da minha vida, listei uma página inteira

pagar contas v
pegar quadro
marcar exame
comprar queijo ralado
levar as gatas para cortar unhas v
ligar para o veterinário v
marcar sobrancelha v
organizar a estante
voltar a fazer jantar v
encomendar meu livro na travessa para dar pra G.
e outras coisas também sérias e urgentes.

Agradeço à MViana pelas diversas informações. Por ter me contado sobre o Forte e feio, em Portimão, que se autodenomina "O pior restaurante do mundo", mas é uma delícia. Quando você, exemplo, pede um terceiro prato, o garçom diz:"Já tem batata, já tem salada, basta!". Ahaha. Adoro. Por ter falado sobre a águia do Benfica. De madrugada, ter explicado porque, em caso de sufoco, o certo é recorrer ao consulado, e não à embaixada. O W Bonner falou uma coisa certa sobre a reforma ortográfica. Já que era pra mudar, porque não tirar a crase do a, porque ninguém diz eu vou a aembaixada. Madruga. Acordar cedo amanhã. Lembrei de uma coisa:



04.04.11



Que lin-do. Apelo, em ritmo de fado. Para Déa P.




Fiquei pensando se deveria ou não contar uma coisa que aconteceu comigo. Porque é muito gauche. Bom. Fui tomar um chope no final da tarde, na sexta. Porque pensei: ou saio um pouco para me divertir ou enlouqueço: eram duas opções.

R. estendeu o prazo do trabalho para amanhã, de acordo com o cronograma da empresa. Já contei, ou não, tanto faz. Achei que uma fugidinha cairia bem. Não sabia que chegaria em casa meio-dia do dia seguinte, e acordaria nove da noite, acumulando o trabalho de sábado para domingo e hoje. Nada disso interessa. Rebubinemos.

Dez da noite, ou onze, ou meia-noite - não tenho ideia, porque preferi não olhar as horas, fomos para a casa de G.Z.. Lembra que fui pegar meu celular que caiu entre a cama e a parede, e todos os botões do meu vestido voaram? Pois é. Fiz questão de pegar agulha e linha, e recolocar um a um, com muita paciência, e ficou tão perfeito que me senti orgulhosa: sei costurar.

Pois bem, fomos para a festa. Nem era festa porque não havia música, mas um happening, digamos assim. Estava divertido, rimos muito, as pessoas eram interessantes e inteligentes. Muito bem. De repente um botão voou do meu vestido. Peguei no chão, que chato. Eu ia pra lá e pra cá, havia três grupos de conversa, e enquanto isso os botões iam saltando do vestido, eu ia percebendo aos poucos até que, quando olhei, não havia mais nenhum.

Um resumo do post seria: estava numa festa e todos os botões do meu vestido foram se soltando até não haver mais nenhum. Fiquei semi-nua.

O vestido é daqueles com botões na frente, de cima a baixo. Tive que, com uma mão, ficar segurando a parte de cima da roupa, e com a outra a parte de baixo. Que legal, hein? Bom, foi isso. Talvez eu não tenha contado tão bem, a ponto de vocês entenderem o tamanho do meu sufoco. Ficar quase nua em uma festa, parabens, marina w.

(Mas ninguém viu nada não, porque fiquei muito tempo sentada. Melhor invenção: almofadões, bolsona. Salvam.)



02.04.11

Vida: particular.



01.04.11
No dia 5 de fevereiro de 1959,a escritora norte-americana Carson McCullers, autora de Balada do Café Triste, ofereceu um almoço para que a escritora dinamarquesa e Baronesa Karen Blixen-Finecke ( tb conhecida por Isak Dinesen, autora de A Festa de Babette ) conhecesse Marilyn Monroe.





Blixen tinha 74 anos, era uma grande dama da literatura e muito rica, embora estivesse muitíssimo debilitada pela sífilis que contraiu quando estava na África , onde escreveu Out of Africa - Meryl Streep fez seu papel no cinema. Por ser anoréxica, pesava 36 quilos, só se alimentava de ostras e uvas e só bebia champanhe! Costumava ficar acordada até tarde, fumando sem parar, ingerindo anfetaminas e contando suas famosas histórias. Depois que os amigos iam embora, ela ficava falando sozinha ou entrava numa espécie de transe auto-induzido.

McCullers tinha 42 anos e era famosa pelos dramas românticos que escrevia e, como Blixen, era chegada a aventuras. Por causa de problemas físicos e emocionais, era quase uma reclusa mas havia mais de duas décadas que todo ano relia "Out of Africa" e considerava Blixen a sua "amiga imaginária," que sempre "estava lá quieta, serena e com grande sabedoria para me confortar." Ao saber que Blixen gostaria de conhecer Marilyn Monroe, McCullers ligou para Arthur Miller, então marido da atriz, e marcou o almoço.




Monroe tinha 33 anos e não conhecia nem nunca lera McCullers nem Blixen. Tinha acabado de filmar "Quanto Mais Quente Melhor" e chegou atrasada para o almoço. Usava um vestido preto com uma grande gola de pele e um decote profundo. Blixen vestia um conjunto cinza e um turbante que ela chamava de "Verdade Sombria"!

As três se entenderam às mil maravilhas, embora Arthur Miller diga que é lenda a história de que as três dançaram juntas sobre a mesa de jantar de mármore de Carson McCullers. McCullers disse que foi a melhor festa que deu na vida; todo mundo adorou quando Marilyn contou que certa vez tentara acabar de cozinhar macarrão usando um secador de cabelo; e Blixen disse que Marilyn era "quase que inacreditavelmente bonita," cheia de "uma vitalidade ilimitada" e de "uma inocência incrível" -- "Vi a mesma coisa num filhote de leão que os meus empregados me mostraram na África. Eu não quis ficar com ele."


Karen Blixen e Marilyn Monroe morreram alguns anos depois deste insólito almoço, em 1962 de inanição e overdose, respectivamente; Carson McCullers morreu em 1967, de um derrame.