Parar de fumar é uma das coisas mais legais do mundo. As roupas ficam perfumadas, os cabelos, o hálito. Fòlego. Só coisas boas. Acontece que nada é perfeiro. Eu comia pouco, o cigarro tira a fome. Tensão  no restaurante era amiga pedir para dividir.


(Assim que as mulheres fazem, homens, mas agora nem se usa pedir nada: vem aquele bolinho junto do café. Outro dia, no restaurante, pedi um curto e o cara trouxe uma um dedo de café.)


(cont.) ------------------ Eu dizia que sim, mas não tinha vontade. Agora tenho vontade de comer coisa doce. Tipo Banana Split. A balança é má. Fico com dor na consciência porque faço pouco exercício, Preciso beber mais água e caminhar regularmente. Chateação ser mulher.












Moleskine, o fetiche.






16.11.14





blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablablá.








eike casa horrível







(cont.)

Exceto a amarela de janelas azuis, em frente à nossa janela. É como aquelas desenhadas pelas crianças. Pontuda. Dá pra ver os dois andares, os moradores passando pra lá e pra cá, o menino se jogando no sofá para ver televisão. Árvores, um gato em cima do muro.














Ser rico é uma chatice. Bom é ter muito dinheiro.















Caminho pelas ruas, subo e desço ladeiras porque gosto de ver as casas. Fico besta com o silêncio sepulcral. Parece que todos os donos, de todas as casas, estão viajando: não há som (exceto o alarido dos cães), e as janelas estão sempre fechadas.

Gosto de casas alegres. Quando éramos pequenas subíamos o Alto da Boa Vista de carro, e cada uma de nós tinha sua própria casa. A minha era branca, com uma escada em caracol. O motivo que me fez escolher essa casa, entre tantas outras lindas: dava pra ver, através da porta entreaberta da área, as roupas penduradas no varal. Quanto mais rico, menor o ruído.

Me faz lembrar um menino que conheci, de família riquíssima. Vivia em uma casa super, cercada de árvores e silêncio. Como era muito pequeno e não tinha muito, ou nenhum, contato com outras crianças, adquiriu o hábito de latir.













Entrávamos na Starbucks, uma a cada esquina, wifi; proteção contra o frio; olhar as xícaras. Adoro essa cafeteira, lembranças de duas viagens pra sempre no meu coração. Mas o café não, o café é um bomba.






15.11.14

via



















23:20 Pedi um doce e uma Coca-Cola por telefone, a mulher era super grossa, e eu falei "Você deveria ser mais delicada no seu trabalho". Furiosa por dentro. Que burrice. Tomara que a demora de quase três horas, em vez de 50 minutos como ela falou, substitua o cuspe.

:\









Melhor foto



Old Pics Archive ‏@oldpicsarchive 
Delivering a dinosaur to the Museum of Science (1984) 







Hollywood Film Awards 2014














€ 9.90
lojinha de museu











Que lindo