31.8.15


Não tenho mais idade pra ser jovem





theacademynewyork







Joá, cervejas, ratatouille, pudim de leite, alegria, sorvetes. A semana começa desconstruindo tudo: amém. Andei de uber, achei normal, porque só pego taxista maravilhoso. Bo Jack antes de dormir para fechar o domingo. Boa noite, boa sorte.













30.8.15


set 


Tess






a mesma lua.








markruffalo



soniabraga










~ olha a lua, antes que ela vá pra trás do edifício ~











Queria voltar a escrever, quem sabe falar da dor de perder um amigo tão amado; do Chay Sued lindo no Baixo; dos emails que ando recebendo;  do sedex que MC mandou: pedrinhas de Verona e Florença, sabonete de limão siciliano, medalhinha, creme nívea, postal, pedrinha de uma rua chamada Clara (obrigada, Dani!); do livro que estou quase terminando de fazer; da viagem que talvez eu faça; (...); do mal estar por ter deixado passar a data do resultado do exame; da doçura inesperada de G.T.; do medo que eu sinto quando leio recessão em letras garrafais. Afogada em dívidas. Ontem deixei tudo brilhando, hoje teve gravação. Vou começar a ver Narcos. Vim bater ponto.







lendo: Amor sem fim  O jantar. Gosto de ler seguidamente os mesmo autores. Depois vou me dedicar ao Ian McEwan
ouvindo: Paulinho Moska cantando Sonífera ilha
vendo: Bo Jack Horseman









Agosto, esse mês estranho.













@diegoursomoraes 







29.8.15


Enquanto você tá aí achando que já viu de tudo, uma mulher entra no metrô com um porco na coleira...
 Alemanha
MC









Não compre.








@samara7days







27.8.15








via glasberg















Borges







A respeito do atropelador, como está escrito na pequena manchete do jornal O Globo, A.C. me conta que, há muitos anos, estava em Nova York vendo televisão: David Letterman entrevistava Richard Harris, então com prováveis 60 anos. A. diz que nunca esqueceu quando o apresentador fez algum comentário sobre carros, e o ator respondeu: "Não dirijo desde os 25 anos. Não posso dirigir". Sua carteira havia sido apreendida, devido a algumas infrações no trânsito. Para nunca mais. É o certo. Quem não tem responsabilidade para dirigir, não pode colocar a vida das pessoas em risco.









:)











Tanta acontecendo, boas e ruins, mas eu não tenho vontade, não posso, ou não quero contar.















romance que Scarlet Johansson tentou proibir.




25.8.15


Brassai, Lovers in the Latin Quarter, Paris, 1932   via






Aeroporto internacional Eduardo Campos

Twitter

Direito ao êxtase retweeted
bernadette ‏@oraporra  
como pode os cara batizar um aeroporto com o nome de alguém que morreu num acidente de avião

























23.8.15



“A mulher abre o negócio, tem seus filhos, cria os filhos e se sustenta, tudo isso abrindo o negócio.” Talvez o momento mais ‪#‎12anosforever‬ da presidenta. Paulo Candido 
















----------------------------------------------------







Sidney Garambone
21 de agosto às 15:30 · Rio de Janeiro · 
Uma das pessoas mais brilhantes que já conheci na vida foi brilhar lá em cima. Kastello Branco Era o cérebro da Zeitgeist, uma produtora informal de vídeo que marcou minha vida profissional e pessoal. Para mim, Kastello sempre foi o Woody Allen brasileiro. Mas a timidez não deixou mais gente conhecer sua genialidade. Lembro de uma das cenas finais do "Turno da Morte", quando Nauro Campos bradava "Você estragou tudo. Eu ainda tinha algumas falas". Que tristeza.


21.8.15




Em "Caderno de Sonhos", Ana Miranda. via desculpeapoeira





set








20.8.15




cateblanchett















tmagazine














~ No Pão de Açúcar De cada dia Dai-nos Senhor A poesia ~















Vendo: Transando com Laerte
Ouvindo: Rádio Criolo
Lendo: Casa de praia com piscina






19.8.15







RAINHA


Chico & Bethânia "Quando nós nos encontramos sempre aparece disco voador", diz, com a maior tranqüilidade. "É verdade!" (...) "Pouco antes de começarmos a temporada no Canecão, Buarque foi lá em casa. Estávamos conversando de tarde, quando, de repente, passa um disco voador no céu." Durante a temporada foi mais incrível ainda. "Íamos para o teatro, cada um no seu carro, e os dois tínhamos que atravessar o túnel de São Conrado para a Zona Sul. Quando ia entrando no túnel, apareceu uma esquadra, milhares de discos por cima do túnel. Estava com minha irmã e o motorista. Mas além de nós, e Chico no outro carro, todo mundo viu. (...) Eu contava a história para o Caetano e ele perguntava: "Mas por que com o Chico?" Um dia Chico ia lá em casa e Caetano quis ir também, para comprovar. Mas nada aconteceu. Então, é assim. Quando encontro Buarque, tem sempre um pouquinho de disco."

Do livro Chico Buarque, de Regina Zappa, da Relume Dumará
 .....


"Morro de pena quando alguém me diz que não crê em nada. Deve ser uma solidão... Sonho estar em Santo Amaro, onde tem almoço de aniversário que Nossa Senhora vem. Pergunto se quer suco".
O Globo




joia: bazaarbr












Daqui a 4 meses 2015 acaba.











via estadão









18.8.15

joaovicente27









Deixa eu contar direitinho a história da música: Papai que não tinha ouvido nenhum, estava vendo um programa de tv (em Paris), quando começaram a cantar Happy Birthday to you em inglês. Ele se animou, chamou mamãe, que estava fazendo a sopinha na cozinha. "-- Zélia, corre aqui! Você diz que eu não identifico nem o Hino Nacional, mas esta música eu conheço, é uma velha canção anarquista!"
Caiu das nuvens quando soube o que era de verdade.
Beijinhos
Paloma Amado




17.8.15







Textão, só da Mary. Publico para ler. Tipo favoritar.













Um urso em uma tempestade de neve. Foto de @paulnicklen via natgeo






Repeteco para Stella

Marina, de Dorival Caymmi, composta em 1946, na verdade foi feita para seu filho Danilo. Ele era pequenininho, virou para o pai e falou: Estou de mal com você. A partir da frase, Dorival compôs a música que se tornaria um clássico.

Ao contrário do que se pensa, Dorival não gostava de rede. Ele curtia mesmo uma cadeira de balanço. Sua filha Nana, no entanto, é capaz de ficar horas e horas na rede vendo tevê.

Preguiçoso mas organizado: Dorival mantinha várias pastas, catalogadas com sua caligrafia caprichada, com fotos, músicas e matérias sobre ele.

Quando jovem, era disputadíssimo entre as mulheres. A ponto de uma delas, multimilionária, ligar para Dona Stella, sua mulher, e mandar na bucha: "Quanto você quer para vender o Dorival?". Dona Stella, que tinha fama de brava, não pensou duas vezes: "Pode levar de graça, mas os direitos autorais ficam." (hohoho). Ela sabia que ele não iria. E sempre teve orgulho de ter um marido tão sedutor.

A fim de passar uma cantada na Zélia Gattai, Jorge Amado pediu ao amigo pra compor uma música para fazer um clima. E foi isso que aconteceu: Jorge fazendo juras de amor e Caymmi no violão, ao fundo.

Algumas dessas histórias deliciosas sobre Caymmi, estão no livro da sua neta Stella, chamado O Mar e o Tempo.










Nelson Leirner, Globo, 2003







blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablablá.
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablabla
blablablablablablablablablablablablablablablablá.








Harrison Ford and Johnny Depp having a conversation at Disney's D23 Expo in Anaheim, California (Photo by Scott Orlin) via goldenglobes





16.8.15


@ricardope 
Tem cartaz pedindo a volta da ditadura, a volta da monarquia, daqui a pouco aparece um pedindo a volta dos dinossauros. #CarnaCoxinha







parabéns




#57

Via madonnaonline









15.8.15

Resumo de sábado  Duas adolescentes cara pintada no ônibus. Constrangedor. O ajudante de cabeleireiro se chama John Kennedy. Agora que Mr. Wolfenson deu like em uma foto minha já posso me retirar da internet.


Sorry, periferia.










14.8.15
















manuscrito de Em busca do tempo perdido / Proust











Se os personagens de Friends comessem de fato a quantidade de besteiras que comem em  todos os episódios (pizzas gigantes, muffins, bolinhos, bagels, donuts, sanduiches cheios de molhos, batatinhas de pacote) seriam todos como a Monica Geller quando era adolescente.











@pablo_grilo
Encontrando a galera do colégio naquele churrasco 


(via Tina Lopes)








14.8.15


Um beija-flor pousou na janela.














Aeroporto de Colônia
Minha mochila é parada no raio X.
O policial a abre e detecta que é por causa do meu mini dicionário português-alemão. De luva, ele começa a folhear as páginas...tempo suficiente para até eu ficar preocupada.
Ele para numa página e parece examinar minuciosamente. E então, olhando para ela, vira para mim e fala no português mais gringo possível:
- boa viagem!!


MC
13.8.15


























O diário de Oprah
via















theacademynewyork



















12.8.15



via









Arquivos do bloWg: gente, como eu me divertia!






Uma só babá acabou com dois casamentos seguidamente: Ben Affleck & Jennifer Garner, e Tom Brady & Gisele Bundchen. Quem ficava com as crianças?












Gisele separou.







Sangerine trouxe três sacolas de frutas. Estava fotografando no Parque Lage, os macacos roubaram algumas. Quando eu falo macaco não estou querendo dizer mico. Ela apontou a mala de rodinhas para mostrar o tamanho. Um deles levou a torta inteira.









set



















(a melhor foto de todos os tempos esta semana)











"Cadê meu baseadinho? Isso me acende de forma diferente." Dolores Duran. 









Quando era menina, Virginia Woolf foi com umas amigas visitar o estúdio de Rodin. O escultor não admitia que ninguém visse suas obras inacabadas, e enrolava todas com faixas. Virginia, curiosa, desenrolou uma delas. Rodin lhe deu um tapa na cara. Inspirada em sua irmã, que era pintora, Virginia Wolf escreveu a maior parte de seus livros em pé. O dramaturgo Edward Albee pediu a Leonard, viúvo da escritora, para usar o nome de sua mulher em uma peça que estava escrevendo. O título Quem tem medo de Virginia Woolf? foi copiado de um grafite que ele viu no espelho de um bar. (A vida secreta dos escritores)








via







Ao contrário do que se pensou a certa altura e até se espalhou, ele nunca bebeu. Tuberculoso na mocidade, viveu sempre com medo de uma recaída. Não bebia nem água mineral, só da bica - como fazia questão de dizer ao garçom. Não conseguia largar o cigarro, que naquela época não sofria ainda a campanha que veio a sofrer. Fumava Liberty ou Yolanda, dos chamados ovais. Fortíssimos. Os olhos denunciavam fadiga ou depressão. "Eu sou um triste", repetia, como um refrão. Morando na Zona Norte, Nelson adorava uma carona. Pedia carona com o maior descaramento, para casa, para qualquer lugar e até para São Paulo! Só teve automóvel no fim da vida. Com chofer. Não sabia dirigir e nunca tentou aprender. Detestava avião. Nunca quis viajar ao exterior. Tomava cafezinho com frequência, sem açúcar. Tinha mania de telefone a tal ponto que, se atendia um desconhecido (ou desconhecida) podia engrenar um papo de horas.

(Nelson Rodrigues por Otto Lara Rezende, trecho)













Grandes figuras do Brasil

Procópio Ferreira, além de ter sido um dos maiores atores de teatro do país, era um homem muito original. Não importa onde morasse, sua casa sempre tinha um bar, chamado Beija-flor. Ali, o creme do creme do teatro brasileiro se reunia para comer e beber, nas quatro mesas com de tolhas de linho, louça inglesa, talheres de prata e copos de cristal. Os jantares eram servidos por garçons de smoking e luvas brancas e o cardápio mudava diariamente. Apesar da caixa registradora que ficava em cima do balcão, tudo era de graça, incluindo os cigarros de várias marcas que ficavam guardados numa caixa de tampa transparente. Quando algum freguês abria a caixa, soava uma campainha barulhenta que não significava nada, era apenas uma das gozações do ator. Não faltava a placa "Hoje não se faz fiado" e o tabuleirao Reservado, na porta do banheiro. Evidentemente, um homem apaixonante assim, era muito assediado e uma vez uma mulher chegou a lhe oferecer um prédio na Avenida Paulista de presente, que delicadamente ele declinou.












Conselhos do Chico

Inútil dormir que a dor não passa.
Espere sentado ou você se cansa.
Quem espera nunca alcança.
Aja duas vezes antes de pensar.
Devagar é que não se vai longe.












Se existem ets eles estão tão longe, mas tão longe,que nós estamos sozinhos.
Marcelo Gleiser





set

James Dean e Liz Taylor












tudo está no seu lugar
minha namorada está sozinha na janela
o sonho está dormindo na cabeça do homem
o homem está andando na cabeça de Deus
minha mãe está no céu em êxtase,
eu estou no meu corpo.


murilo mendes






















11.8.15


Correspondência eletrônica

 :)
LOVE

G







Certas pessoas legais.














Escrevo para a atriz linda, famosa e talentosíssima. Uma vez ela me deu uma entrevista: não existe ninguém mais doce. Sua agente respondeu o email - coisa rara - de uma maneira super gentil e pediu meu telefone. Me ligou, apesar de estar no aeroporto, pra me para explicar. A atriz vai gravar uma minissérie no papel principal, e filmar um longa. É muito séria e estudiosa. Mesmo assim ela vai tentar. Me ajudou com outros nomes. Considera falta de educação deixar a pessoa a ver navios. Às vezes deparo com pessoas queridas e é muito bom. Bom demais.











via David Bailey and Helmut Newton, 1978.






Muitas vezes não respondo emails de pessoas que não conheço, mas com motivos. Tenho duas trolladoras oficiais, que já disseram que mudam de nome para me enganar. Pessoas doentes, claro. Doente no mau sentido. Acho que nunca mais farei isso, porque é muito deselegante não responder, agora que saquei. Portanto peço desculpas a todas as pessoas de verdade que, por receio, deixei de responder.







Otto. Para Déa P.



9.8.15



Posts repetecos (sem tempo, amor)







Para Tina Lopes






Fast Google Todas as obras de Gilberto Freyre foram escritas a bico de pena. Balzac só escrevia tomando xícaras e mais xícaras de café. Victor Hugo escreveu Os Miseráveis em pé. Pedro Nava parafusava os móveis de sua casa a fim que ninguém o tirasse do lugar. Castro Alves também era pintor e compositor. Somerset Maugham escrevia a mão.







via ffffound







e pensar que, depois que eu me for,
haverá mais dias para os outros, outros dias,
outras noites
cães abandonados, árvores balançando
ao vento

não deixarei tanto
algo para ler, talvez

um rebelde na estrada
devastada.

Paris às escuras.

Charles Bukowski










SEU LINDO







Antonio e João

Tom Jobim estava na parada de sucessos dos Estados Unidos, com Garota de Ipanema. Um amigo foi felicitá-lo.

- Tom, que beleza, você está em segundo lugar. Só perde para os Beatles!
E o maestro, com aquele jeito que a gente conhece:
- Mas eles são quatro, né?


(Acho que essa é minha história predileta do show business.) ......

O músico Oswaldo M. foi morar no mesmo flat onde mora João Gilberto, no Leblon. Pediu a um amigo em comum para apresentá-los, o amigo falou que era difícil, você conhece o João, é anti-social. O compositor insistiu, o cara tentou, João respondeu, baixinho:

- Sabe o que é, não gosto de conhecer gente que eu não conheço.












Ônibus Olá! Meu nome é Gilberto. Gilberto veio aqui para apresentar um aparelho que vai facilitar a vida das donas-de-casa. A dona-de-casa vai descascar o legume e a fruta com mais facilidade. Olhaí, gente, você vai descascar desde uma laranja (demonstra) até uma batata (demonstra). Também serve para a cenoura (demonstra). Bom para fazer batata chip ou uma deliciosa salada de frutas. Fatiar o queijo prato ou fazer um salpicão. Quem gosta de salpicão levanta a mão. É bom ou não é esse aparelho? Batata noisette, você faz aquelas bolinhas (demonstra). Você pode fazer legumes e frutas para decoração. Quanto custa, hein? Nas Lojas Americanas têm, em Niterói você acha, Copacabana entrega por 5 reais, tá barato. Sabe por quanto o Gilberto entrega?Um por três ou três por cinco. A moça aqui diz que já tem um. Gilberto vendendo coisa boa (desfia uma cebola, distribui o corta legumes). Quem vai querer? Oportunidade única. Quem mais quer, quem mais quer? Aí, piloto, brigadão!


8.8.15


Análise é fazer fofoca de si mesmo.





















Vodka é só água com sentimentos.

Luiz Acacio Galeazzo-Vareta









(perdi o crédito)





"Sempre conto que uma vez vi o Millôr provocar aplausos entusiasmados da plateia, numa das admiráveis Jornadas Literárias de Passo Fundo [RS], com um discurso em favor da liberdade, da democracia e da concórdia universal. Quando os aplausos terminaram, o Millôr revelou que acabara de ler o discurso de posse do general Médici na presidência."  Luiz Fernando Veríssimo - Cadernos literários - IMS)











selfie












Nova York, 40's - foto de Stanley Kubrick 
via @HistoryInPix







Títulos João Gilberto levou sua filha Bebel Gilberto, ainda pequena, à comunidade onde moravam os Novos Baianos. Ao sair do carro, ela tropeçou. Começou a chorar e todos vieram acudi-la. Espantada com tantos cabelos em cima dela, tanta confusão, ela disse " Gente, acabou chorare!".  
Por ter morado no México, onde foi alfabetizada, ela misturada as duas línguas.









"Eu gosto de dormir, eu não gosto de ir dormir." Faço minhas as palavras do Jô.













"Vinicius.
Quando chegar, se eu estiver dormindo, me deixe
Se eu estiver morto, me acorde"

Antônio Maria.

(via Claudio Renato Passavante)








Caderno de sonhos Estou no mesmo elevador que um cara muito atraente, quando um homem minúsculo, do tamanho de uma bola de futebol, gordo e cor de abóbora, começa a ter um enfarte. Ajudo o rapaz a levá-lo para o carro, um fusca. Pergunto se ele quer que eu vá ao hospital; responde que sim. Fala meu sobrenome inteiro e pergunto como ele sabe. Diz que trabalha na Caras, numa seção sobre como se desapegar das coisas.










8.8.15



A porta da verdade estava aberta
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.
Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só conseguia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia os seus fogos.
Era dividida em duas metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era perfeitamente bela.
E era preciso optar. Cada um optou
conforme seu capricho, sua ilusão, sua miopia.

*
C. Drummond de Andrade, A verdade dividida



via Leda Beatriz








Tonico Pereira e Ricardo Blat / Cristina Granato
Via Chega de americano.


















Feliz aniversário para o genial. Em foto de Bob Wolfenson.

#73
















via









7/8/15
Correspondência eletrônica



W,
Eu estive os últimos três meses por conta do lançamento de livro novo.
Agora que voltei pra ilha.
Depois te mando algo comível
Beijos e obrigado pelo convite.



Badaró












ADORO





Numa época que é tão comum homens vestiram a camisa de feministas, porque é legal, porque é politicamente correto, porque dá ibope, porque fica bem na fita, é bem bacana poder ouvir um homem sincero. (em dez 2013)

















Pareço legal mas repito posts.










Anteontem ouvi uma coisa bem legal na BandNews sobre a cidade mais democrática do mundo, Cantão de Glarus, na Suíça. Democracia direta. Os habitantes (13 mil pessoas) recebem uma correspondência em casa com o dia do Landsgemeinde (plebiscito em praça pública). Então vão todos pra lá e votam em coisas determinantes para suas vidas. Na praça, como em Atenas! (dez. 2013)














Luiz Carlos Maciel contou que quando era rapaz,  durante uma temporada na Bahia (época de ouro, Glauber etc), estava escrevendo um trabalho sobre Heidegger, quando resolveu colocar uma observação do filósofo no original. Ligou para um amigo, que não sabia, mas deu a ele um folheto em alemão sobre a Volkswagen, daí e ele copiou um trecho. "Ninguém na Bahia sabia alemão mesmo".

:D





(rever vírgulas etc)