Voltei, aqui é meu lugar. Domingo sem cara de domingo. Quando lavar a louça, pensar que está lavando a louça, quando passar shampoo no cabelo fazer isso com consciência. Etc. A saída para os ansiosos. "Todas as pessoas são assim como eu? Pensam sem parar um minuto?". Estou achando que a terapeuta diria sim, ou em outras palavras: "Não, só você, a #diferentona". Mas ela respondeu que não.

A bonitíssima B. Lombardi gosta muito de fazer um tipo. Uma vez  ela foi ao Jô, e ele perguntou como estavam as aulas de japonês. E ela "Er...er...". Porque num programa, anos antes, falou que seria capaz de cruzar São Paulo para ver um filme japonês sem legenda.  Ram ram. E disse que ia começar a fazer um curso de japonês.. Todo mundo faz um tipo, talvez.

(A tela do computador fica rosa ou azul, porque Aurora gosta de mexer nos fios)


A pior coisa é a memória da gente fixar alguma coisa e quando a gente vê a coisa sempre lembra. Sempre. Exemplo, se passo na Avenida Brasil e vejo os gasômetros penso que os militares iam explodi-lo, e quando vejo o logotipo do Bradesco: igual a assinatura do Pelé.














foto @eltonjohn