GW





Anteontem fui na casa do meu vizinho do quinto andar. Já conhecia ele das sessões de jam session, desculpe mas não sei como traduzir, na Casa da Tata. Era espetacular, cada um pegava um instrumento qualquer e começava a tocar e cantar, até eu arrisquei um chocalho, mas muito baixinho, porque não sei. Baixíssimo. A gente acha que está arrasando, mas visto de fora acredito que não. Era muito bacana mesmo. Lá eu conheci o ator mais lindo e legal do mundo: Guilherme Winter. As pessoas iam fumar lá fora e só nós dois fumávamos filtro vermelho, que ninguém tinha. De repente ele chega e tira um Malboro de trás da minha orelha. Tipo mágica. Não tenho palavras para tamanha educação e charme.



Então, sobre o meu vizinho: cantor e compositor, sempre achei que suas composições fossem em inglês, não sei porquê.  Nos encontramos às vezes, quando ele está passeando com sua vira-latinha Naná. O problema é que ele prefere o governo atual, ao da Dilma, portanto a favor do impeachment. Como uma pessoa tão fora dos meus ideais, pode ser interessante?

Fui na casa dele e ele cantou a última música que compôs, há um mês. Música bebê. Quando ele começou fiquei (maravilhada). Era tipo Wally Salomão & Jards Macalé. Depois tocou um sambinha, e mais duas músicas. Não podíamos conversar muito porque estava quase na hora do debate, voltei pra casa 20 minutos depois de começar. Foi um bálsamo, pois estava sozinha com o filhotes e eles não são fáceis. Agora estão dormindo com F. e B., são extremamente ligados, irmãos,então teria que ser 1) adoção dupla 2) para pessoa que deixe ficar na cama 3) e tenha edredom.


:D