Adoro asas. 
via














Domingo Vou sair daqui a pouco: amiga em apuros. Amanhã a gincana recomeça. Queria tanto contar minha eletrizante sexta, mas cheia de (...) porque infelizmente não posso contar tudo em blog público. Quando cheguei em casa, às duas e meia da manhã, comecei a escrever - felizmente não publiquei - mas daí passei mal. Por causa de uma caipirinha ou coisa que o valha. Não posso misturar. Quem já passou mal assim, sabe:


Você começa a suar frio, e não pode sequer se mexer. Cai dura na cama de roupa e tudo. Na vertical. Não pode se mexer mesmo. Sabe que tem que levantar, apagar as luzes da cozinha, desligar a internet, mas é impossível. Apesar de ser ruim, dá meio um barato. O quarto começa a rodar*, é como um filme, uma montanha russa cheia de cores. Você completamente imóvel. Fiz vários posts na cabeça, muitos. (No dia seguinte passei pro diário de papel). Demora. Depois caí no sono, coisa que nunca aconteceu nesse tipo de passar mal. Só acordei às sete, daí coloquei pijama e dormi um pouco mais.


*A primeira vez que bebi, aos quinze anos, sei lá, meu irmão falou: O quarto vai girar, é normal :)




Depois quero falar da sexta em si. Porque não gosto quando o blog fica só copia e cola. Do show, de um reencontro com uma amiga querida: almas do mesmo molde. Queria contar sobre uma conversa a três, e um papo na calçada. Mas nem posso. A parte ruim de ter um blog aberto é essa.