Alô, alô, São Paulo
Lançamento da segunda edição do livro Risco no Disco (35 anos) de Leda Spinardi, Ledusha, pela Luna Parque Edições - 3 de dezembro, sábado, das 16 às 20 hrs no Café Bistrot Quinto Pecado -
Rua Coronel Artur de Godoi, 12 - Vl. Mariana




Eu tinha o original, mas dei pra uma pessoa, depois a pessoa quis me devolver e eu fiquei sem graça, temendo ser deselegante. Anos 90: estou no Shopping da Gávea, quando vejo que está rolando uma tarde de autógrafos na Timbre. Me aproximo: Ledusha. Não acredito: adoro. Conto que eu tenho o Disco e ela diz que não tem. Rebubina:  PUC e poesia marginal. Coleciono, garimpando sebos. Eduardo Kac quer comprar o livro. Outras pessoas fazem ofertas: não vendo, não dou, não empresto. Um salto para 2000: conversando com o Pratex por email, ele fala que sua assistente Ledusha está pra pegar um casaco na lavanderia há seis meses. Sei que é a cara dela. Peço o email. Escrevo dizendo que gosto imensamente de seus poemas. Não sei reprimir elogio. Acho que ela vai dizer apenas obrigada. Mas responde textão como se (já) fossemos amigas, sobre um romance caótico que estava vivendo. Vibro de felicidade: todos conhecem meu grau de deslumbre. Logo passamos para o telefone, voz igual a da Rita Lee, e depois para vida real: São Paulo, vinho na varanda, confidências, almas iguais, Pingo, Ninou voltando da Fórum, linda. Na parede, desenhos originais de  Jean-Claude Carrière. Flores, livros, quebra-cabeça do Miró, refogadinhos no fogão. Época muito boa da minha vida, e Ledusha estava dentro.