"Viajamos mais de 31.000 km por terra. O equivalente a quase uma volta inteira na Terra!"





Experiências na África






Maria Clara Rezende com Alain Bruha / FB



Se nossa idade fosse contada por experiências e não anos, nesses últimos meses eu teria envelhecido um monte.

Quando decidimos viajar pela África, muitas pessoas nos alertavam, notícias nos jornais não ajudavam, mas não adianta. Nós tínhamos que ver com nossos próprios olhos.
E assim fomos.

Visitamos 15 países. Viajamos mais de 31.000 km por terra. O equivalente a quase uma volta inteira na Terra!Não vou dizer que foi fácil. Na África, 200km pode durar um dia todo, a comida nem sempre é confiável, quase nada funciona, a pobreza dói o coração e, para completar, pegamos malária.

Mas foi só nos arriscando que aprendemos que não há ninguém no mundo mais receptivo que os muçulmanos e nenhum povo mais generoso que o sudanês. Aprendemos um pouco de Tonga, de árabe, de Chicheŵa. Aprendemos até a cozinhar comida swahili. No carvão, claro!

Aprendemos que no Zimbábue não existe mais dinheiro nos caixas eletrônicos, que a nota mais alta do Malaui equivale a menos de 1,5 dólar, que na Tanzânia eles são muito orgulhosos do presidente e que os quenianos, vizinhos, dizem que se ele fosse um jogador de futebol, já o teriam comprado.

Aprendemos que todo e qualquer país ama o Brasil e os brasileiros. E que a noção do tempo não existe no continente. O ônibus vai sair quando estiver cheio e vai chegar quando chegar.
Aprendemos muita coisa triste também. Aprendemos que são 15 milhões de etíopes passando fome e que no Malaui eles comem ratos e moscas para sobreviver.

Aprendemos que em muitos lugares não há água corrente, eletricidade ou comida, mas eles vão sempre dividir o pouco que têm com você.
S

ão coisas que você não lê no Wikipedia ou em lugar nenhum. Mas se você se arriscar um pouco, só um pouco, você vai encontrar um mundo maravilhoso, bem diferente do que vê na televisão ou nos jornais. Você vai conhecer pessoas fantásticas, que nunca encontraria na sua rotina do dia a dia.


E numa próxima vez que você ouvir que a África é perigosa ou “não tem nada para ver”, você vai poder falar com propriedade que isso não é verdade. Só na África pudemos ver de perto o Deserto do Saara, leões livres a poucos metros, as mais altas dunas de areia do mundo, e a única das Sete Maravilhas do Mundo Antigo que ainda resiste. Isso só para listar algumas coisas.


Obrigada, África, pelo melhor ano da minha vida!