família cult














Estou quebrada. E não fiz missa metade, como diria a minha mãe. Então peguei minha sacola de carta de bilhetes de amor; emails impressos dos leitores do blog, de quando eu disse que era bipolar; recuerdos de viagem, recortes de jornal da época que lancei os livros - bilhetes e desenhos dos filhos eu coloquei em outra caixa) senão o zíper não fecha. Poemas, crônicas, cartões de feliz aniversário, do meu irmão; desenhos rabiscados pela minha mãe enquanto fazias as contas na agenda - seus números era incríveis, rostos de mulheres "coquetes"; correspondências completas; entradas de shows, muitas coisas.


Daí encontrei um envelope de farmácia americana, pensei: Seria tão legal se tivesse alguma coisa aqui dentro, ele estava dobrado. Achava que não, pois guardo esses saquinhos de papel, pelo fator estrangeiro, sagitário é um signo ligado ao estrangeiro, no sentido mais abrangente da palavra. Abri. Um monte de folhas daquelas árvores do Central Park no outono. Ia colocar a foto no Instagram, mas preguiça. Foi muito emocionante #romantica