Paro no posto para ir ao caixa eletrônico. O motorista do Uber diz que vai estacionar. Olho para o carro dele, para não me confundir depois. É prateado. Faço o que tenho que fazer. Saio da loja de conveniências: todos os carros estacionados em frente são prateados #curb.

Churrasco vegetariano; jogo da verdade que sai do controle; excesso de doce: ansiedade demais. Como duas fatias grossas de torta de nozes com sorvete de creme, em seguida repito. Esperando emails que demoram. No terracinho, flores roxas, lilases, amarelinhas. Borboletas aos montes, revoada de pássaros, miquinhos na árvore. Fotografo: não sei mais só olhar. Acompanho Desperate housewife, quase uma novela mexicana. Fui ao médico: felicidade é pesar 48 quilos. Mas essa semana devo ter engordado dois. Cérebro dependente de açúcar. Philip Roth disputando com a Netflix. Madre quase santa. Não passei pelas redes sociais, mas na festa me contam sobre Zé Mayer, que ultrapassou os limites do bom senso (para dizer o mínimo)











Feio, hein? Bem feio.