sem data














Ontem, no metrô Para passar o tempo, imaginei todas as mulheres do banco da frente vestidas de orange. Uma delas parecia a Red, embora loura. Justamente ela, olhou pra mim e com os olhos quis me apontar alguma coisa. Não sou boa nisso, ainda mais com alguém que nunca vi. Andando com amigas na rua nunca pesco uma cutucada de leve. "Você viu??" Homem bonito, artista, mulher com roupa extravagante além da conta - nunca vejo. Porque estou sempre no planeta Eu Mesma. Olhei para um canto e outro, ela continuava remexendo os olhos. Falei: "Desculpe, não sou boa nisso".

Então ela fez o que deveria ter feito de primeira, inclinou a cabeça pra pessoa que estava ao seu lado. E riu buscando cumplicidade. Era um senhor com os fios do cabelo branco em pé, como se tivesse colocado o dedo na tomada. Porque tem uma hora, antes da gente entrar no vagão, que surge um vento bárbaro. Não achei graça, mas retribuí o sorriso-rarará silencioso e curto.
















Tim Walker for W Magazine @popcultureinpictures