A segunda-feira ficou pairando, fui ao supermercado, e também à padaria - aqui existe um doce chamado lua de mel, os papéis espalhados na mesa, no chão, a gata dormindo ao lado, sopa de legumes, lavei duas peças de roupa, vendi duas colagens, fiz contas, desembaracei a agenda, nunca toda, faz parte não ticar todos os itens, a cozinha em desordem, o friozinho que chegou com a noite


(no vaso grande de planta, onde há um caule robusto e silencioso, que não é aguado por não mostrar sinal de vida, nasceram duas folhinhas muito mínimas, desde que resolvi regá-lo há quatro dias)


Ouço no utube psicanalistas falando coisas muitíssimo interessantes, mas prefiro achar que existe sim, muito mistério. Como esse dia, quase noite, pairando sem explicação, com a textura de um sonho. Desejos submersos, um silêncio esplendoroso, e o vento que corta sem dó.









via