8717

Hoje fiquei umas três horas no Facebook,  tinha esquecido de como é bom ficar navegando sem rumo, agora que a briga terminou. Um meme,  um vídeo, uma notícia, outra notícia, outra notícia . No Facebook as coisas não param de acontecer nunca.  Quero saber mais, os desdobramentos, então vem o hipertexto e daí, quando percebo, estou no meio do oceano sem terra à vista. Facebook não é para compulsivos. Ou lascou-se. Dei oi e tchau pra essa experiência que me enche de preguiça, adia minhas obrigações e empilha loucas na pia.




De repente você acha coisas lindas assim:




mãe, o que é elétrica cidade?
(pergunta a filha da Ticcia)












Não quero mais:

sustos e preocupações excessivas
Falar da minha vida pessoal
(o blog é a parte da minha vida pessoal que não me importa contar)
[...]